Em 2016, Sertãozinho vencia Série A3 pela terceira vez na história

Touro dos Canaviais é o maior campeão do terceiro escalão do futebol de São Paulo com o tricampeonato

por Federação Paulista (FPF)

Sertãozinho, SP, 14 - Apostando em um time bastante experiente, há quatro anos, o Sertãozinho fazia história ao conquistar o título da Série A3 do Campeonato Paulista e se tornar o maior vencedor da divisão. O tricampeonato chegou graças a uma campanha consistente e que cresceu na hora certa, já com José Carlos Serrão novamente no comando da equipe.

O Campeonato Paulista da Série A3 de 2016 tinha 20 equipes e uma grande novidade: seis delas seriam rebaixadas. Oito se classificavam para a próxima fase em que, divididas em dois grupos de quatro times, seriam decididos os dois acessos à Série A2 de 2017. Estes ainda disputariam o título da divisão em jogos de ida e volta.

Em 27 partidas, o Sertãozinho somou 48 pontos em 14 vitórias, seis empates e sete derrotas. Marcou 39 gols, com uma média de 1,44 por partida, e sofreu 20. Individualmente, destacaram-se o trio ofensivo com os experientes Luciano Gigante, Tardelli e Tito, artilheiro da equipe com nove gols.

Foto: Rodrigo Corsi/FPF
Foto: Rodrigo Corsi/FPF
A CAMPANHA
Sob o comando do técnico Ito Roque, o Sertãozinho esteve desde o início da competição na disputa por uma vaga no G8. Na quarta rodada esteve em nono e, quando voltou a essa posição -na 11ª rodada - houve a troca no comando. O velho conhecido José Carlos Serrão assumia novamente o clube pelo qual havia conquistado o acesso à elite em 2009. Com boa sequência de vitórias a partir da 14ª rodada, a equipe se classificou à fase seguinte na quarta colocação.

Desta maneira, estaria no Grupo 2, ao lado do Flamengo, líder da primeira fase, Matonense (5º) e Nacional (8º). A outra chave teria Atibaia (2º), Rio Preto (3º), São Carlos (6º) e Catanduvense (7º). Apenas o campeão de cada chave garantia o acesso e, consequentemente, estariam classificados à decisão do título.

Logo na primeira rodada, o time conquistou um grande resultado com gol de Luan aos 47 minutos do segundo tempo na vitória por 1 a 0 sobre a Matonense em Matão. Para ajudar, Nacional e Flamengo empataram. Com dois jogos em casa para fazer, o Sertãozinho venceu o time da Barra Funda por 3 a 1 e empatou sem gols com o de Guarulhos. Assim, encerrou o primeiro turno da fase decisiva na liderança, com sete pontos contra cinco do Flamengo, o segundo colocado.

A partida do dia 24 de abril, em Guarulhos, pela quarta rodada da segunda fase, seria decisiva. Dessa vez foi Alemão quem marcou no fim, aos 37 minutos do segundo tempo, para dar a vitória que levou a equipe aos 10 pontos, ficando muito próximo do acesso.

Matematicamente, o acesso viria com um empate com o Nacional, desde que o Flamengo não vencesse a Matonense. O time de Guarulhos até perdeu -4 a 1 em Matão, mas o da capital venceu o Sertãozinho em casa, por 2 a 1 e foi a sete pontos. Ainda assim, o empate no estádio Frederico Dalmaso com a Matonense bastava e foi o que aconteceu: o 0 a 0 garantiu o retorno do Touro das Canaviais à Série A2.

DISPUTA PELA TAÇA
O outro time que subira e que disputaria a taça com o Sertãozinho foi o Rio Preto que, com melhor campanha, faria o segundo jogo em casa e com vantagem de dois empates para ficar com o título.

Em casa, Felipe e Edu Pina marcaram na vitória por 2 a 0 do Sertãozinho. Em São José do Rio Preto, os mandantes abriram 2 a 0 no primeiro tempo, mas Felipe marcou novamente, aos 22 da segunda etapa e garantiu a terceira taça da Série A3 ao clube.

Rio Preto 2x1 Sertãozinho
Competição: Campeonato Paulista Série A3;
Data: 14 de maio de 2016;
Local: Estádio Anísio Haddad, em São José do Rio Preto;
Público: 9.455 pagantes;
Renda: R$ 53.250,00;
Árbitros: Luiz Flavio de Oliveira;
Assistentes: Alberto Poleto Masseira e Luiz Alberto Andrini Nogueira;
Cartões amarelos: Fabão, Felipe Manoel, Ermínio, Jônatas Obina (Rio Preto); Edu Pina, Fred (Sertãozinho);
Expulsões: Ermínio e Fabão (Rio Preto); Fred e Felipe (Sertãozinho);
Gols: Wanderson 19’ e Felipe Manoel 28’ do 1ºT; Felipe 22’ do 2ºT;

Rio Preto: André; Wendell (Dudu), Patrick (Elinonar Bombinha), Fabão e Marcelo Vilella; Wanderson, Felipe Manoel, Giovanni Pavani (Édipo) e Jonatas; Jonatas Obina e Ermínio.
Técnico: Betão Alcântara

Sertãozinho: Márcio; Nequinha, Fred, Alemão e Edu Pina; Danilo, Matheus (Lelo), Fábio Gomes e Michel Cury (Rossini); Felipe e Tito (Cris).
Técnico: José Carlos Serrão