Em dia de festa, Santos desafia tabu para começar bem o Campeonato Brasileiro

Nas últimas 12 estreias em Brasileirão, o Peixe perdeu nove jogos e empatou três

por Agência Estado

São Paulo, SP, 14 (AFI) - O Santos inicia neste sábado a sua trajetória na edição de 2018 do Campeonato Brasileiro em clima de festa, mas também tentando encerrar um tabu. Às 21 horas, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, o time recebe o Ceará na celebração do seu aniversário para tentar encerrar uma sequência de tropeços na primeira rodada da competição.

O dia 14 de abril é uma data especial para o torcedor santista, pois marca a data de fundação do clube, ocorrida há 106 anos. Por isso, o clube preparou uma série de ações para este sábado no estádio do Pacaembu, que inclusive receberá o jogo do time feminino contra a Portuguesa, às 11 horas, pelo Campeonato Paulista. O duelo contra o Ceará será o quinto que o Santos fará como mandante na sua "segunda casa" em 2018. E o clube espera completar a festa com uma vitória no fim da noite deste sábado.

O problema é que o desempenho recente do Santos em estreias no Brasileirão é frustrante, com a última vitória tendo ocorrido em 2005, quando superou o Paysandu no estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul (SP). Desde então, o time disputou 12 jogos pela primeiras rodada do torneio nacional e teve desempenho péssimo, com três empates e nove derrotas.

Para superar esse retrospecto, Jair Ventura deve apostar em um time bastante ofensivo, embora ele não tenha confirmado a escalação. A ausência de um camisa 10 de confiança, problema que persiste no time desde o início da temporada e provocado pela transferência de Lucas Lima para o Palmeiras, deverá levar o treinador escalar uma formação com quatro atacantes, como, aliás, realizou no segundo jogo das semifinais do Campeonato Paulista contra o Palmeiras.

A ideia de Jair Ventura é que Rodrygo, Arthur Gomes e Eduardo Sasha se revezem na armação das jogadas e no avanço pelas pontas, sempre buscando abastecer Gabriel Barbosa. O atacante teve ótimo começo no retorno ao time, cedido por empréstimo pela Internazionale, com quatro gols marcados nos quatro jogos iniciais, mas agora vive jejum de seis partidas sem marcar.

Há também uma possibilidade de Jair Ventura preservar Rodrygo, de apenas 17 anos, começando o jogo com Jean Mota como principal articulador de jogadas. Mas o treinador não esconde a admiração pelo jovem, eleito a revelação do Paulistão. "É uma joia. É um jogador incontestável, porém é um menino. A diferença da base e o profissional é grande por causa da força do treino", afirmou.

No meio de campo, Jair Ventura deve manter Renato, mesmo que Léo Cittadini, titular durante quase todo o Paulistão, esteja disponível. E a determinação do técnico é clara: começar bem o Brasileirão para poder brigar pelo título, após realizar boas campanhas nos dois últimos anos - foi vice em 2016 e terceiro colocado em 2017.

"Nós já vimos exemplos de times que ganharam no fim do campeonato, mas o Corinthians ganhou no começo no ano passado. Ele garantiu o título no primeiro turno. Tiveram oscilações, mas tiveram gordura para segurar no segundo turno", avisou o treinador santista.