Paulista Sub 17: Após ser decisivo, Wallison descarta título de herói da Ponte Preta

O jogador marcou todos os três gols da equipe alvinegra na vitória por 3 a 1 sobre o Palmeiras, no Moisés Lucarelli

por Federação Paulista (FPF) - São Paulo

Campinas, SP, 26 (AFI) - O título inédito da Ponte Preta no Campeonato Paulista Sub-17 teve um gosto a mais para os atletas, neste sábado (25), e principalmente para o atacante Wallison, que marcou todos os gols da equipe alvinegra na vitória por 3 a 1 sobre o Palmeiras, no Moisés Lucarelli.

O time da casa carregava a desvantagem de uma derrota por 2 a 1, sofrida no primeiro confronto da final, e precisava de uma vitória simples para garantir a taça -por possuir a melhor campanha da competição. No entanto, com apenas 4 minutos de bola rolando, o goleiro Yago falhou numa saída de bola e o camisa 7 do Palmeiras abriu o marcador.

 Após marcar três gols na final, Wallison descarta título de herói da Ponte Preta
Após marcar três gols na final, Wallison descarta título de herói da Ponte Preta
Com o placar acumulado em 3 a 1, o desespero quase tomou conta dos jogadores alvinegros. Foi a partir daí que a estrela do garoto Wallison, de 17 anos, brilhou. No entanto, ele minimizou sua importância na conquista, e descartou o título de herói.

"Quando tomamos o gol, chamei toda a equipe e falei que não podíamos abaixar a cabeça. O nosso goleiro sentiu naquela falha, mas eu disse para ele não desanimar, porque todo mundo erra", contou. "Eu sentia que se a gente se unisse, o título viria. Eu fui abençoado por fazer os gols, mas a conquista foi de todo o time", acrescentou.

Além de superar as adversidades normais de jogo, o clube alvinegro enrfrentou um outro adversário: o calor. Durante a partida, os termômetros chegaram a apontar 35º C. Nem mesmo a parada técnica foi capaz de minimizar os efeitos do sol.

"Esse foi o jogo da entrega. Afinal, mesmo com muito calor, fizemos uma partida de muitos gols e muita movimentação. Dentro de campo, a gente sabe que tem que honrar a camisa. É como diz o hino da Ponte: raça e tradição", afirmou o camisa 11.

CARREIRA
Finalizador e habilidoso, Wallison quer seguir os próximos passos da carreira no clube campineiro. Inclusive, o jogador tem como ídolos dois centroavantes formados nas bases de clubes da capital paulista, Corinthians e Palmeiras, e que ganharam projeção internacional.

“Eu me inspiro no Jô. É um atacante de área, que tem muita força na finalização, mas que ajuda a equipe em todos os sentidos. Além dele, acho que meu estilo é muito parecido com o do Gabriel Jesus, de partir para cima e dar o drible na área. São modelos para mim”, revelou.

Apesar da pouca idade, ele já se identifica como uma “referência” na área, característica que o fez entrar no radar da equipe profissional. “Não sei qual será meu futuro, mas jogar na Ponte Preta é um desejo meu”, concluiu.

Livia Camillo, de Campinas, especial para a FPF