Roger define time do Palmeiras e campeões de 2016 perdem espaço

Tchê Tchê perde a vaga no meio de campo para Bruno Henrique, enquanto Moisés e Edu Dracena seguem sem espaço na equipe

por Agência Estado

São Paulo, SP, 10 (AFI) - As duas últimas vitórias do Palmeiras, contra Junior Barranquilla e São Paulo, na temporada mostraram a fixação de um novo time titular. A entrada do meia Bruno Henrique e a manutenção de Victor Luís como lateral-esquerdo estão entre as alterações que deram à formação estabilidade e reforçaram a tendência de perda de espaço na equipe de jogadores que foram titulares na campanha do título brasileiro de 2016.

O último a perder a titularidade foi Tchê Tchê. O jogador atuava com regularidade desde a chegada ao clube, em maio de 2016. Bruno Henrique ganhou a vaga dele e correspondeu com dois gols na estreia da Copa Libertadores, além de boa atuação contra o São Paulo. A sequência faz com que o antigo titular perca espaço e fique no banco de reservas.

Quem também não tem muitas chances no time é o meia Moisés. Após cumprir uma pré-temporada estendida para reforçar a parte física, o camisa 10 acabou cortado do banco de reservas na estreia na Copa Libertadores e entrou somente no segundo tempo no clássico da última quinta-feira. Decisivo na campanha do título nacional, o jogador agora é coadjuvante.

O zagueiro Edu Dracena vive situação parecida à de Moisés. O defensor também precisa passar por uma preparação física diferenciada para evitar lesões e sequer estreou nesta temporada. Antônio Carlos e Thiago Martins se fixaram na defesa e não têm sido ameaçado por concorrentes. Thiago, aliás, era reserva na campanha vitoriosa de 2016.

Por outro lado, quem era titular na época e continua em alta é Dudu. O atacante continua como capitão e com presença fixa na equipe. O goleiro Jailson assumiu a posição ao longo do Campeonato Brasileiro de 2016, com a lesão de Prass, e recuperou o status no começo desta temporada, por escolhe de Roger.

 
 
" />