Boca Juniors x River Plate – Um dos jogos mais importantes da história do futebol mundial

Arquirrivais fazem primeira final argentina da Libertadores e terceiro Superclássico que vale título em mata-mata

por João Vitor Nicodemus

Campinas, SP, 09 (AFI) – Algozes de brasileiros em fases anteriores, Boca Juniors e River Plate dão início à final histórica da Copa Libertadores neste sábado, às 18h. Os arquirrivais argentinos protagonizam o duelo de ida em La Bombonera, em Buenos Aires. O chamado Superclássico marca a primeira final inteiramente argentina na Libertadores, justamente no ano em que a competição deixa de ter formato de ida e volta.

Historicamente uma rivalidade nascida e alimentada na ideia de ricos x pobres, River Plate e Bocas Juniors já se enfrentaram em duas finais. Na final do Campeonato Argentino de 1976, quando o Boca levou o troféu, vencendo por 1 a 0, e na decisão da Supercopa Argentina de 2018, que terminou com vitória dos Millionarios.

Na Libertadores, os clubes duelaram em 23 oportunidades no geral, com dez vitórias do Boca Juniors, sete do River Plate e seis empates. Os dois clássicos finalistas terão torcida única, medida adotada desde 2014 por conta dos incidentes violentos que costumam rodear o confronto.

CAMPANHAS
No Grupo 8, o mesmo do Palmeiras, na primeira fase, o Boca Juniors ficou bem para trás do time brasileiro, mas garantiu a classificação em segundo lugar na última rodada. O primeiro adversário do mata-mata foi o Libertad, do Paraguai, o qual o Boca deixou pelo caminho ao vencer os dois jogos.

Nas quartas de final, quem ficou pelo caminho do time de La Bombonera foi o Cruzeiro. Após vencer em casa, o Boca apenas segurou um empate no Mineirão para ficar com a vaga. A equipe voltou a encontrar o Palmeiras na semifinal e a vitória em casa garantiu o “bicho” dos argentinos novamente, avançando após um empate no Brasil na volta.

Já o River Plate avançou como líder do Grupo 4 na primeira fase, na qual encontrou o Flamengo. O time teve duelo argentino nas oitavas de final, contra o Racing. Após empate na ida fora, o River venceu fácil em casa e avançou. Nas quartas, tudo igual, empate sem gols na ida contra o argentino Independiente, e vitória no Monumental de Nuñez na volta. As semifinais marcaram uma virada heroica contra o Grêmio em Porto Alegre. Após perder por 1 a 0 em casa, os Millionarios venceram por 2 a 1 na volta.

CARRASCO DO PALMEIRAS LIDERA ATAQUE?
Faltando algumas horas para o Superclássico, o técnico do Boca Juniors tem sua principal incógnita em quem comandará o ataque do time. Dario Benedetto, grande carrasco do Palmeiras nas semifinais, postula para roubar a vaga do ex-cruzeirense Ramón Ábila no time principal.

O time ainda conta com outra dúvida, que é sobre a condição do meia Pablo Pérez.O jogador não treinou normalmente durante a semana e o Departamento Médico espera até o último momento para tentar utilizar o atleta, que é peça fundamental no elenco do Boca. Caso não tenha condições de jogo, Agustín Almendra e Fernando Gago aparecem como opções.

POUCA SURPRESA E SEM O TREINADOR
Com uma baixa no time titular, o River Plate tem sua maior preocupação em não poder contar com o técnico Marcelo Gallardo. Ele foi punido pela Conmebol por ter descumprido a suspensão contra o Grêmio e descido para o vestiário do River no intervalo da semifinal. Agora, o treinador não poderá nem entrar em La Bombonera.

Dentro das quatro linhas a baixa é de Ponzio, que está lesionado. Com isso, o substituto direto para a vaga deve ser Enzo Pérez, assim como foi contra o Racing nas oitavas e contra o Grêmio, em Porto Alegre. Sem viver boa fase, Quintero não deve ser titular, mas se apresenta como boa opção no banco de reservas da equipe.

Ficha Técnica

Fase
Final
Rodada
1ª rodada
Data
11/11/2018
Horário
17h00
Local
La Bombonera - Buenos Aires (ARG) ()
Árbitro
Roberto Tobar-CHI

Assistentes
Christian Schiemann-CHI e Claudio Rios-CHI

Cartões Amarelos
Boca Juniors-ARG: Jara, Villa , Ábila, Tevez
River Plate-ARG: Casco, Borré

Gols
Boca Juniors-ARG: Ábila 33' 1T, Benedetto 46' 1T
River Plate-ARG: Lucas Pratto 35' 1T, Izquierdoz 15' 2T (contra)
Boca Juniors-ARG
Rossi;
Jara (Buffarini), Izquierdoz, Magallán e Olaza;
Nández, Barrios e Pablo Pérez;
Pavón (Benedetto), Ábila e Villa (Tevez).
Técnico: Guillermo Barros Schelotto
River Plate-ARG
Armani;
Montiel, Maidana, Lucas Martínez (Ignacio Fernández), Pinola e Casco;
Palacios, Exequiel Palacios, Enzo Pérez (Zuculini) e Gonzalo Martínez;
Lucas Pratto e Borré.
Técnico: Marcelo Gallardo
 
 
" />