Dirigente do Goiás reclama de arbitragem e fala até da tragédia da Chapecoense

As reclamações de jogadores e comissão técnica do Goiás aumentaram nas últimas duas rodadas por causa de pênaltis para adversários

por Agência Futebol Interior

Goiânia, GO, 21 (AFI) - O dirigente do Goiás, Hailé Pinheiro, não gostou nada do empate por 2 a 2 diante da Chapecoense, na última rodada do Campeonato Brasileiro. Mas ele não ficou bravo com seu time e, sim, com a arbitragem.
Em sua fala após o jogo com cabeça quente, ele insinuou que a arbitragem favoreceu o Índio Condá por causa do acidente de avião ocorrido em 2016, que deixou 71 mortos, incluindo jogadores, comissão técnica e repórteres.
"Ajudar o Corinthians vá lá. É o Corinthians. Ajudar a Chapecoense, que está caindo pelas tabelas? Se o avião deles caiu, não somos culpados. Não temos nada com isso. Tem que acertar é com quem derrubou o avião. Não fomos nós, não. Estou muito revoltado com isso", disse à Rádio Bandeirantes.
A reclamação é por causa de um pênalti a favor da Chapecoense.
Este também foi o motivo da revolta no empate com o Corinthians na rodada anterior. Jogadores e comissão técnica também já demonstraram descontentamento com as decisões.