Ex-Chapecoense, brasileiro relata situação da Arábia Saudita em meio à pandemia

'A minha esperança e a de todos no mundo é que esse problema seja ao menos controlado o mais breve possível'

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 02 - Atleta do Al-Jabalain da Arábia Saudita desde Agosto de 2019, o meia Diego Miranda é mais um brasileiro que vivencia as consequências da pandemia do coronavírus no exterior. Sem jogar desde onze de Março, o ex-jogador da Chapecoense comenta o quadro atual do país asiático.

PREOCUPADO E TREINANDO

"Tenho realizado todos os meus treinos em casa. Não há previsão de retorno do futebol no país, mas é absolutamente necessário que mantenhamos a forma. O governo já impôs algumas regras.

Na cidade só é permitida a circulação de pessoas entre seis da manhã e sete da noite. Em função disso, nesse período as ruas têm ficado cheias.

A minha esperança e a de todos no mundo é que esse problema seja ao menos controlado o mais breve possível para que possamos voltar a ter uma vida razoavelmente normal", declarou.

BRIGA NO CAMPEONATO

Oitavo colocado da Divisão 1 árabe, o clube de Diego Miranda está na briga para conquistar uma das vagas para a elite do futebol do país na próxima temporada.

Restando dez rodadas para serem jogadas, o time do brasileiro está nove pontos atrás do chamado G4. Diego demonstra otimismo sobre as chances da equipe.

ANÁLISE DA TEMPORADA

"Vejo como totalmente reais. Se não tivéssemos empatado tanto, certamente estaríamos numa posição mais acima.

Mas há ainda 30 pontos em disputa e diversos confrontos diretos. Acredito muito nas nossas possibilidades" finalizou.