EXCLUSIVO! Ex-goleiro da Seleção Brasileira fala sobre a Copinha ao Portal FI

Atualmente Plassmann é supervisor-técnico do Sub-18 do Cruzeiro

Publicado em .

São José do Rio Preto, SP, 06 (AFI) - Com exclusividade para o Portal Futebol Interior, o ex-goleiro de Cruzeiro, São Paulo, Flamengo e Seleção Brasileira, Raul Plassmann, concedeu uma entrevista nesta sexta-feira. Plassmann, que também já foi comentarista da TV Globo, Sportv e Record, atualmente exerce o cargo de supervisor-técnico do time Sub-18 do Cruzeiro, que está no Grupo A da Copa São Paulo de Futebol Júnior, com sede em São José do Rio Preto.

Foto: José Paulo Necchi Oliveira

Na conversa com o repórter Oscar Silva, Plassmann destacou as dificuldades que uma equipe enfrenta na Copa São Paulo de Juniores, criticou o elevado número de equipes participantes da competição e elogiou a estrutura oferecida pela cidade de São José do Rio Preto para abrigar o Cruzeiro, que entra na competição como um dos favoritos à taça.

Confira a entrevista:

Oscar Silva: Qual a sua analise deste início de competição?

Raul Plassmann: São jogos que você joga contra equipes desconhecidas muitas vezes e, para nós foi bom, onde conquistamos dois excelentes resultados, pois vencemos o ABC, por 1 a 0 e goleamos o bom time do Mirassol, por 5 a 1. Só depende de nós a nossa passagem para a outra fase da competição.

Oscar Silva: Para você é exagerada a participação de 96 clubes na Copinha?

Raul Plassmann: Na década de 70 houve a Copa João Havelange, que tinha 100 clubes participantes. Era competição profissional, em que eu disputei e foi um lixo. Nós não temos 96 clubes, com condições para disputar o campeonato uma Copa São Paulo como é enfrentando Corinthians, Flamengo, Cruzeiro. Por um lado, causa uma integração dando oportunidades a todos. Por outro lado, você perde em condições técnicas, qualidade. Um exemplo é o Corinthians, que ganhou de 9 a 0, de um Santos, lá do Nordeste. Isso, não soma nada. Não estou generalizando.

Oscar Silva: Qual o objetivo da Copa São Paulo?

Raul Plassmann: Claro que é revelar jogadores, dar oportunidades, mas você não pode abrir mão da qualidade e não pode colocar cascalho e lixo tudo em uma competição só. Você tem que fazer uma seleção. Não precisa ser aquela seleção bem enxuta. Você pode enxugar um pouco mais. Tem muitas coisas ruins. É como a Copa do Brasil, que tem um lado bom que é dar vaga para a Libertadores. Por outro lado, até chegar às fases finais, a própria Copa do Brasil é um lixo, pois, embora integre todo o Brasil, a qualidade técnica vai para o espaço.

Oscar Silva: O que você achou da cidade Rio Preto como sede e o estádio?

Raul Plassmann: A cidade de Rio Preto é excelente. É uma cidade linda, bonita, pacata, que se eu pudesse moraria aqui. Com respeito ao estádio, o gramado é espetacular e isso não é surpresa, porque o interior de São Paulo é sempre diferente dos demais estados. O futebol paulista, o interior é muito forte mais forte de qualquer outro aí, do nosso país. Aproveitando a oportunidade parabenizo o Portal Futebol Interior, pela grande cobertura que faz com os campeonatos estaduais, o campeonato brasileiro da Série A, B, C e D, e até os europeus. Acho legal o placar ao vivo também. Enfim, sou um internauta que sempre está acessando o site. Que continue assim", finalizou Raul Plasmann.