Marco Aurélio Cunha deixa CBF para tentar presidência de time da Série A

Dirigente era coordenador das seleções femininas havia cinco anos e saiu em comum acordo

por Agência Estado

São Paulo, SP, 02 - A Confederação Brasileira de Futebol confirmou nesta terça-feira que Marco Aurélio Cunha não é mais o coordenação das seleções brasileiras femininas. A saída ocorre após cinco anos e, segundo comunicado da CBF, em comum acordo. A entidade exalta que o dirigente teve atuação fundamental na reestruturação e consolidação da seleção e do futebol feminino no país. MAC vai concorrer ao cargo de presidente do São Paulo na eleição do final do ano.

"O Marco Aurélio fez um trabalho admirável no desenvolvimento do futebol feminino, que hoje é uma prioridade dentro da CBF. Fui testemunha de sua competência, dedicação e do seu comprometimento ao longo desses anos de convivência", afirmou o presidente da CBF, Rogério Caboclo, em comunicado da entidade

"Sabemos que o Marco tem outros projetos e entendemos conjuntamente que havia chegado o momento dele sair. Fica o meu agradecimento, com a certeza de que suas qualidades pessoais e profissionais ficarão marcadas na seleção brasileira feminina", acrescentou Rogério Caboclo.

Marco Aurélio Cunha, à direita, ao lado de Vadão
Marco Aurélio Cunha, à direita, ao lado de Vadão

SÃO PAULO
Projeto citado por Rogério Caboclo é buscar ser eleito presidente do São Paulo. A eleição acontece no final do ano. Atual mandatário, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, não pode tentar a reeleição.

Oficialmente, Marco Aurélio ainda não confirmou sua candidatura. O único candidato já confirmado é o ex-diretor de marketing Julio Casares, que tem apoio de grupos da situação e também da oposição, como o ex-presidente José Eduardo Mesquita Pimenta. O atual vice-presidente, Roberto Natel, é outro nome que surge entre os conselheiros para o pleito. Ele é rompido com Leco desde 2018.

Durante sua gestão no futebol feminino na CBF, a seleção faturou títulos importantes, como a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto-2015 e a Copa América do Chile, em 2018. Na base, a seleção feminina levou o Sul-Americano Sub-20, em 2015; o Sul-Americano Sub-20, em 2018; o Sul-Americano Sub-17, também em 2018; e a Liga Sul-Americana Sub-19, em 2019, entre outros.