Árbitro relata e Goiás pode ser punido por homofobia da torcida

Gritos homofóbicos da torcida contra goleiro do Londrina podem render punições ao time goiano

por Agência Futebol Interior

Goiânia, GO, 03 (AFI) – A postura da torcida esmeraldina no confronto entre Goiás e Londrina na última terça-feira, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B, poderá render punição. O árbitro do confronto, Antônio Dib Morais-PI, relatou gritos homofóbicos contra Vagner, goleiro do Londrina. Confira na íntegra:

“Aos 35 minutos do 1º tempo, no momento em que era mostrado um cartão amarelo ao goleiro da equipe do Londrina EC. sr. Vagner Antonio Brandalise, e a partida sendo reiniciada, a torcida do Goiás EC. começou a gritar " goleiro viado, goleiro viado" isso ocorreu no período de 36 a 39 minutos do 1º. tempo. Cabe informar que no intervalo da partida, o telão no estádio solicitou aos torcedores que não mais fizessem esse tipo de ação. O 2º tempo transcorreu sem mais nenhuma atitude hostil da torcida”.

Em entrevista à rádio Sagres 730, o advogado do Goiás, João Vicente, repudiou a atitude da torcida. “É uma premissa do clube a educação não só torcedor, mas sim do cidadão com relação a qualquer tipo de preconceito, intolerância e diferença. Isso vem desde as categorias de base do clube, e lógico, se livrar de uma punição no STJD é uma consequência disso”, disse.

Ele acredita também que o clube não deverá ser punido pelo ocorrida. A multa, segundo explica João, pode variar de R$ 100,00 até R$ 100,00 mil.

“Provavelmente por constar na súmula e conhecendo o histórico da procuradoria do STJD, vai ser feita uma denúncia contra o Goiás, mas por tudo o que a gente tem feita e pela baixíssima gravidade do ocorrido, tenho certeza da absolvição do Goiás”, afirma.

O advogado também falou que está conversando com o departamento de marketing do clube para fortalecer as campanhas contra racismo e homofobia nos jogos.

“Não tenho dúvidas que esse tipo de caso deve aumentar no STJD, até porque o árbitro hoje trabalha com uma pressão muito grande e qualquer coisa que aconteça na arquibancada, que não for relatado, ele próprio pode ser punido”, finalizou.

 
 
" />