Espanhol: Presidente da LaLiga garante 'alternativas inovadoras' no retorno

Tebas garante que "o risco durante os jogos será zero, ou praticamente zero, porque os jogadores serão testados"

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 11 (AFI) - Logo após o retorno dos clubes das duas principais divisões do futebol espanhol (LaLiga Santander e LaLiga SmartBank) aos treinamentos, Javier Tebas participou do programa "El Partidazo", da Movistar - emissora oficial da LaLiga na Espanha - para falar sobre a possível volta do futebol no país.

Onde apesar de toda empolgação por trás disso, é necessário ter cautela. "Temos que ter cuidado, pois dependerá de muitos fatores, como o aumento potencial das infecções. São fatores que não dependem do futebol, mas da sociedade. Temos que ter muito cuidado, seguindo sempre as medidas de saúde. O vírus ainda está lá. Com menos infecções, mas ainda está", disse.

TESTES

Para isso, foram realizados inúmeros testes em todos os clubes da LaLiga Santander e LaLiga SmartBank.

"Esperávamos entre 25 a 30 casos positivos, baseando-nos em estatísticas. A Bundesliga obteve 10 em cerca de 1.700 testes. Calculamos nossa estimativa usando esse número e também a taxa geral de coronavírus na Espanha, que é um pouco maior que na Alemanha. São boas notícias para a indústria do futebol, e também para a sociedade espanhola em geral. Temos clubes em toda a Espanha, e a redução não foi a mesma em todas as áreas, mas em muitas partes do país o número de casos agora é muito baixo", acrescentou.

VOLTA DA COMPETIÇÃO

Ainda sobre a volta da competição, e os protocolos de saúde, Tebas garante que "o risco durante os jogos será zero, ou praticamente zero, porque os jogadores serão testados - com apenas 5% de taxa de falha possível - 24 horas antes.

Durante o jogo, há um estudo universitário dos Ministérios da Saúde da Dinamarca e da Alemanha que calculou quanto tempo um jogador fica a menos de um metro de distância de outro durante uma partida.

E dos 22 jogadores em campo, o máximo de tempo que um gastaria nessa distância é de 67 segundos. Para que o vírus seja transmitido, eles precisam ficar nessa proximidade por mais de 15 minutos, e isso não acontecerá".

NOVO MODELO E TRANSMISSÃO

Já sobre o novo modelo de transmissão das partidas, o presidente da LaLiga garantiu que as alternativas serão muito interessantes e inovadoras.

"Estamos trabalhando em conjunto com emissoras nacionais e internacionais sobre como transmitir o futebol. Esperamos ter alguns planos sólidos esta semana. Também estamos realizando testes virtuais e de acústica. Não quero adiantar nada, já que não poderemos ter torcedores nos estádios, mas as coisas vão mudar. Poderemos mover as câmeras para gerar novos ângulos, por exemplo. Não ter torcedores no estádio é uma tragédia, mas vamos aproveitar ao máximo a situação para garantir que aqueles que assistam em casa possam curtir o futebol o máximo possível".

ENCERRAMENTO DENTRO DE CAMPO

É importante ressaltar que a ideia de encerrar a competição, sem ser dentro de campo, está descartada.

"Nunca contemplamos essa ideia de não terminar a temporada. O que aconteceu na Alemanha não pode acontecer e, além do mais, não acontecerá. É impossível para um clube ter cinco casos positivos ao mesmo tempo. Se isso acontecer, é por negligência ou por não aderir ao protocolo de saúde". E o cronograma de jogos também será diferente. "Quando a LaLiga reiniciar, que eu gostaria que fosse no dia 12 de junho, haverá futebol todos os dias. Essa é a ideia, futebol todos os dias para que possamos terminar a competição".

"As duas ligas serão reiniciadas ao mesmo tempo. A LaLiga SmartBank jogará os playoffs da promoção nas mesmas condições de sempre. Precisamos terminar nossas competições nacionais antes de 31 de julho, se possível, e depois as competições europeias em agosto. Como as equipes da LaLiga SmartBank não estão competindo a nível europeu, podemos aproveitar e disputar a primeira semana de agosto, dependendo de quando começarmos a próxima temporada", concluiu.