Atacante do Timão diz que firulas fazem parte, mas promete troco

por Teste

São Paulo, SP, 01 (AFI) - Moleques se entendem. Jovem e abusado como os Meninos da Vila, o atacante Dentinho não ficou tão irritado com as firulas dos santistas na vitória sobre o Corinthians por 2 a 1, neste domingo. Ao contrário, o corintiano preferiu provocar os rivais nesta segunda-feira, já pensando no próximo clássico entre as equipes.

Leia mais:
Meia do Santos diz que entrada em Ronaldo foi proposital

O atacante garante que os clubes vão se encontrar ainda neste Campeonato Paulista, e será a vez de seu time dar olé. "Houve um pouco de abuso sim, depois que estávamos com dois a menos, mas faz parte do jogo", afirmou.

"Ano passado também passei o pé em cima da bola, fui e voltei daqui, dali e eles também quiseram me bater. Vai ter volta e quem pode ficar bravo de novo vão ser eles", afirmou, sorridente não apenas com a provocação, mas por ter voltado ao time titular e jogado bem no clássico.

Desde o fim do ano passado, Dentinho amargava o banco de reservas. Depois de um primeiro semestre impecável, ele sofreu com a queda de rendimento e algumas contusões que o fizeram perder o lugar na equipe. "Joguei bem no clássico e acho que logo posso recuperar a vaga. Agora é levantar a cabeça que tudo começa a dar certo."

Quando Dentinho se lembra de 2009, ele não apenas cita os confrontos decisivos do Paulistão. Também não tira da mente o duelo do primeiro turno, no Pacaembu, no qual o time venceu por 1 a 0, gol dele, em cabeçada certeira e numa de suas melhores apresentações. Com dribles desconcertantes, ele levou Domingos e Fabão à loucura e deixou o campo ameaçado até de ter a perna quebrada pelos defensores santistas.

"Eu gosto de passar o pé por cima da bola, dar pedalada... Isso é a coisa linda, maravilhosa do futebol brasileiro e não vejo como provocação", enfatizou. "No futebol acontece muito isso, só que os defensores não gostam. E hoje em dia é normal, quem perde, reclama mesmo."

Dentinho aceita os dribles, mas pede aos rivais para pensarem no que falam. E dá-lhe cutucada. "O grande elenco tem de ter título. Nós temos dois e eles nenhum". Na espera do troco aos santistas, ele manda uma mensagem aos corintianos que cobram melhor futebol do time. "Prefiro ganhar todas por 1 a 0. Se fizermos isso na Libertadores, seremos campeões."