Coluna desta semana fala sobre problemas de Doha com hotelaria para receber os torcedores.

Categorias: Colunas

Por: Vicente Dattoli, 18/05/2022

Doha Copa Do Mundo 2022
Doha, Catar (Foto: Reprodução)

Nesta semana, o jornalista Vicente Dattoli traz em sua coluna no Portal Futebol Interior orienta os torcedores a se prepararem para irem ao Qatar.

Nosso encontro no Rumo a Doha vai ser um pouco diferente esta semana.

Sorteio já realizado, jogos da repescagem que faltam marcados para junho, que tal saber um pouco sobre como será a Copa do Mundo do Qatar?

Antes de mais nada, um aviso: já foi até o país que será a sede do próximo Mundial?

Se não foi, prepare-se para ir antes de novembro, caso contrário só se tiver ingressos para os jogos da Copa – depois volta tudo ao normal, é claro. 

É isso mesmo: como os jogos serão realizados em apenas uma cidade (na verdade, essa afirmação é meia verdade, porque nem todos os jogos serão em Doha, Doha, mas as outras cidades são tão pequenas que vale dizer que é tudo Doha mesmo), os qataris já se preparam para a falta de hospedagem.

Isso mesmo. 

Os organizadores sabem (ou melhor, esperam) que faltarão quartos de hotel para todos os turistas que desejarem acompanhar os jogos do Mundial. Tanto que vários pacotes que estão sendo comercializados para quem for ver os jogos incluem hospedagem em navios que ficarão ancorados na cidade.

E mais: existem pacotes nos quais os interessados ficarão hospedados em países vizinhos – o que pode exigir uma logística ainda mais complexa com relação a vistos e exigências sobre a questão do controle da Covid-19. Para essas opções, a grande desvantagem é ficar alheio ao chamado “clima da Copa”.

As operadoras que vendem estes pacotes trabalharão com o esquema de voos fretados que deixarão o país de hospedagem horas antes dos jogos, desembarcarão em Doha com ônibus esperando para levar direto ao estádio e, assim que terminar a partida, novamente ônibus e avião. Resumindo: chega, vê o jogo, vai embora. É pouco, vamos falar a verdade.

Quem tiver tempo (e dinheiro, é claro), pode até fazer curtas viagens rodoviárias entre o país em que estiver hospedado e Doha. São distâncias que não assustam e sempre se conhece alguma coisa mais. As estradas são boas, por vezes atravessando porções de deserto, enfim… Turismo na veia, com futebol de sobremesa.

Se tiver opção, não titubeie. Fique em Doha e aproveite os intervalos entre os jogos que vai assistir e conheça a cidade. Percorra o metrô, que ligará praticamente todos estádios (a distância máxima entre eles é menor do que 70km); visite museus, se deixe levar pelos passeios a pé, curta a cidade. Vale a pena.

E torça, muito, é claro.

Vicente Dattoli é Jornalista Esportivo há mais de 30 anos. Sua primeira Copa do Mundo como profissional de imprensa foi na Itália, em 1990, quando entrevistou Diego Maradona logo após o argentino eliminar o Brasil no Estádio Delle Alpi, que nem existe mais.

Já participou da cobertura de todos os chamados grandes eventos esportivos do planeta, incluindo Jogos Olímpicos, Mundiais de vôlei, basquete, natação, handebol, Fórmula 1, motociclismo, Fórmula Indy, etc.

Se pudesse definir, diria, apenas, que é um apaixonado pelos Esportes.

Confira também: