Árbitro expulsa três do Caxias e revela agressões de jogadores em jogo da Copa do Brasil

O time grená saiu revoltado de campo após o empate por 1 a 1 com o Botafogo

Publicado em .

O time grená saiu revoltado de campo após o empate por 1 a 1 com o Botafogo

Caxias do Sul, RS, 06 (AFI) - O árbitro Lucas Canetto Bellote revelou, em súmula, ter sido agredido por jogadores do Caxias, logo após o apito final do duelo, terminado por 1 a 1, entre a equipe grená e o Botafogo, realizado nesta quarta-feira, no estádio Centenário.

Bellote relatou ter levado uma 'peitada' do goleiro Marcelo Pitol, um soco nas costas de Juninho Potiguar e um chute do atleta Da Silva, todos acabaram expulsos. O árbitro ainda contou que não teve tempo de mostrar o cartão vermelho no campo de jogo, o que acabou sendo ajustado no vestiário.

As agressões por parte dos jogadores foram reveladas de forma surpreendente, já que as câmeras haviam flagrado apenas, em um primeiro momento, o gerente operacional do clube, Diogo Aver, chutando Bellote.

Outro que foi citado em súmula foi o ex-atacante Washington 'Coração Valente'. Ele foi demitido de seu cargo na CBF ao ser flagrado mostrando um lance polêmico pelo celular à comissão técnica do Caxias. O erro da arbitragem, de fato, acabou irritando os atletas grenás.

Jogadores do Caxias são acusados de agressão
Jogadores do Caxias são acusados de agressão
CONFIRA ABAIXO ALGUNS DOS RELATOS DE BELLOTE NA SÚMULA

"Após o termino da partida foi expulso com cartão vermelho direto o atleta Marcelo Pitol n° 1 da equipe do Caxias , por dar-me um tranco com seu peito em minhas costas, sendo que não foi possível apresentar o cartão para o atleta referido, devido ao tumulto generalizado."

"Após o termino da partida foi expulso o atleta Jarlesson Inacio n°11 da equipe do Caxias, sendo identificado pelo assistente n°2 sr. Evandro de Melo Lima por desferir um soco com a mão esquerda nas minhas costas, sendo que o mesmo estando de colete foi identificado pela equipe de arbitragem, não foi possível apresentar cartão vermelho devido ao tumulto generalizado."

"Após o término da partida foi expulso o atleta Rondinelli da Silva Vieira n°20 da equipe do Caxias, sendo identificado pelo assistente n°1 sr. Miguel Cataneo Ribeiro da Costa, por chutar minha perna direita, não foi possível apresentar cartão vermelho devido ao tumulto generalizado.

"Após o término da partida, o campo de jogo foi invadido, não sendo possível identificar o local da invasão - pelo senhor Diogo Vicente Aver, identificado pelo Caxias após o tumulto, como seu gerente operacional. o qual se aproveitando de quando eu falava com os jogadores da equipe, se aproximou e me agrediu com uma joelhada nas nádegas. Logo após este fato, fui novamente agredido pelo mesmo gerente com um tapa no rosto.durante o ato o mesmo ofendeu - me com as seguintes palavras: 'Você é um ladrão , safado, vai toma no cú, vem aqui roubar meu time', presenciado pelos assistentes da partida. Após o fato acima houve a chegada do policiamento que conteve os atletas e membros da comissão técnica e nos conduziu ao vestiário."

"Informo que antes da partida esteve no vestiário da arbitragem o sr. Washington Stecanela Cerqueira se identificando na função de diretor de desenvolvimento da CBF. O mesmo desejou uma boa partida. Informo também que no intervalo da partida identificamos o mesmo no banco de reservas da equipe do Caxias sendo solicitado que deixasse o local. Ao final da partida, enquanto realizávamos a súmula visualizamos na internet vídeos do sr Washignton Stecanela Cerqueira mostrando um equipamento de celular ao auxiliar técnico sr. Jeferson Ribeiro da Silva da equipe do Caxias."