Matemática ajuda, mas o time da Ponte não transmite confiança de acesso

Vitória diante do São Bento mantém time pontepretano no páreo

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Continua aquele pinguinho de esperança de acesso do torcedor pontepretano, neste Campeonato Brasileiro da Série B, após vitória sobre o São Bento por 2 a 1 na tarde deste sábado, em Campinas, resultado que a coloca com 50 pontos.

Como depende de vencer os seus quatro jogos restantes, e ainda torcer por tropeços de concorrentes, a missão lhe é ingrata, principalmente porque não pratica futebol convincente.

Quem ainda postula vaga de acesso não pode ter futebol prático restringido a apenas onze primeiros minutos do segundo tempo.

Foi o espaço em que o meia Thiago Real cabeceou fraco e o goleiro Rodrigo Viana defendeu sem problema. Depois, em cabeceada do atacante Júnior Santos, defesa difícil, no chão, de Viana. Por fim quando a Ponte chegou ao gol da vitória aos onze minutos, aproveitando precipitação do lateral-esquerdo Bruno Ré que cometeu pênalti desnecessário em André Luís, convertido por Danilo Barcelos.

Afora isso, dois gols de ambos os lados no desdobramento de cobranças de escanteios durante um amarrado primeiro tempo.

Primeiro quando o zagueiro pontepretano Renan Fonseca subiu livre aos 23 minutos e testou de forma indefensável. Depois quando o também zagueiro Ewerton Páscoa, do São Bento, em idêntica situação, empatou aos 40 minutos.

PRÓXIMOS JOGOS

Quem se dispuser a avaliar a sequência de jogos da Ponte vai deduzir que circunstancialmente até seria possível somar os 12 pontos desejáveis, considerando-se que ainda vai recepcionar Boa Esporte e Coritiba, e, como visitante, vai enfrentar o instável Juventude e, por fim, o Avaí - provavelmente já com acesso garantido - na última rodada.

Problema é que o time dá mostras daquele embaraço e limitações dos tempos dos treinadores João Brigatti e Marcelo Chamusca, o que provoca natural desconfiança de seus torcedores.

Pela projeção, mesmo que atinja os 62 pontos, não se pode sinalizar garantia de acesso.

RONI PERDE GOL

Em desvantagem no placar, a constatação no jogo deste sábado foi a busca do São Bento pelo empate, quando se dispôs a atacar. Aí provocou risco à Ponte Preta. Não fosse o gol certo perdido pelo meia-atacante Roni, que chutou a bola no corpo do goleiro Ivan, cara a cara, a história provavelmente seria outra.

De qualquer forma a Ponte sobrevive e 99% daqueles 6.501 torcedores pagantes no Estádio Moisés Lucarelli ainda acreditam.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos