Feminino: Pia destaca 'coisas boas e ruins' após Brasil ser batido pela China nos pênaltis

"Estou muito feliz com o jogo contra o Canadá. Marcamos quatro gols e isso é impressionante", destacou a treinadora

por Agência Estado

Campinas, SP, 10 - A técnica Pia Sundhage destacou coisas boas e ruins na Seleção Brasileira Feminina que perdeu para a China, nos pênaltis, neste domingo, a decisão do Torneio Internacional, na cidade chinesa de Chongqing, após empate sem gols no tempo normal.

"Estou muito feliz com o jogo contra o Canadá. Marcamos quatro gols e isso é impressionante. Mas a partida contra a China tiveram coisas boas e outras ruins. Começando pelas más, tentamos construir jogadas no primeiro tempo e elas nos pressionaram, mas não conseguimos lidar com isso", disse.

"Depois de um tempo, mudamos bastante e, enquanto a China não conseguia pressionar tanto, criamos muitas chances. Estou feliz com isso, mas agora precisamos concluir essas oportunidades. No geral, foram dois duelos importantes e vamos aprender muito com eles", contou a treinadora sueca, que permanece invicta após seis partidas.

AÍ FICA DIFÍCIL
Foram quatro vitórias e dois empates com o Brasil sendo dirigido por ela. Porém, essa é a segunda vez que Pia perde um torneio amistoso nos pênaltis. A outra foi em setembro, no estádio do Pacaembu, para o Chile, após outro empate por 0 a 0 nos 90 minutos, em São Paulo. Porém, ela evitou lamentar o novo revés nas penalidades.

"Eu acho que o resultado é bom. Olhando como defendemos e não concedemos muitos gols, além do ataque em que criamos muitas chances. Se lembrar da partida contra a Inglaterra (vitória por 2 a 1), elas persistiram bastante, mas ainda assim criamos muitas oportunidades a mesma coisa aconteceu aqui (contra a China)", contou.

"Temos a tendência de conseguir encontrar bons momentos, mas precisamos ser mais frias para concluir. Acho que a jornada foi fantástica até aqui e estou animada para o ano que vem", afirmou Pia, que vai tentar classificar a seleção brasileira para a Olimpíada de Tóquio-2020.

FOCO NO OBJETIVO
A meio-campista Luana, por sua vez, destacou a importância de enfrentar adversários fortes nesta preparação da equipe visando os Jogos Olímpicos.

"Foram dois jogos difíceis, que agregaram bastante na nossa preparação. Infelizmente não saímos com o título, mas acho que o mais importante nesta fase é a experiência e a vivência de jogo que a gente adquiriu. Vamos trabalhar em cima desses dois jogos e manter a preparação para os jogos de dezembro", afirmou.

MAIS DETALHES
Depois do fim do jogo, a brasileira Bia Zaneratto recebeu o prêmio de artilheira da competição, com dois gols, e Bárbara foi eleita a melhor goleira do torneio. Luana elogiou a evolução defensiva da equipe, que não sofreu gol no torneio, após vitória por 4 a 0 sobre o Canadá e empate sem gols com a China.

Foto: Daniela Porcelli/CBF
Foto: Daniela Porcelli/CBF
"Acho que tem sido um trabalho muito bom, que a gente têm focado na parte defensiva, que é o que a Pia mais queria, do posicionamento, do time jogar mais fechadinho na marcação, de sermos um time mais competitivo", observou.

"Acho que nós tivemos grandes jogos, enfrentamos equipes difíceis, o que é bom, pois temos de jogar contra os melhores, e acho que esse trabalho tem tudo para dar certo, para a gente evoluir a cada vez que a gente se encontrar e chegar com tudo para os Jogos Olímpicos", encerrou