Do Paulistão 2013 à Segundona 2019: União cai com volante no gol e suspeitas de fraude

Um dos principais clubes do interior do país, Leão da 13 se vê envolvido em escândalo de manipulação de resultados

por Agência Futebol Interior

Santa Bárbara D’Oeste, SP, 26 (AFI) - As três estrelas sobre o escudo alvinegro mostram que aquela é uma camisa gloriosa. Dono dos títulos do Campeonato Paulista da Série A3 de 1967 (na época, o terceiro escalão estadual recebia o nome de Campeonato Paulista da Segunda Divisão), do Campeonato Paulista da Série A2 de 1998 e do Campeonato Brasileiro da Série C de 2004, o União Barbarense disputou, pela última vez, o Paulistão em 2013. Cinco temporadas depois, o Leão da 13 está rebaixado à Segundona. Para piorar, se vê envolvido em um suposto esquema de manipulação de resultados, além de ter atuado com um volante como goleiro no jogo que consolidou a queda à última divisão de São Paulo.

A igualdade sem gols com o Marília, em casa, na manhã deste domingo, derrubou o União Barbarense no Campeonato Paulista da Série A3. No entanto, o que mais repercutiu foi o vazamento da informação de que oito jogadores mais Claudemir Peixoto, treinador da equipe ao longo da maior parte da competição, teriam se envolvido com manipulação de resultados.

Em entrevista coletiva após o empate com o Tigrão, o advogado do clube, Régis Godoy, contou que dois atletas confirmaram a situação, fato que levou a diretoria unionista a fazer um Boletim de Ocorrência.

Do Paulistão 2013 à Segundona 2019: União cai com volante no gol e suspeitas de fraude (Foto: Vinícius de Paula / Ag. Mirassol)
Do Paulistão 2013 à Segundona 2019: União cai com volante no gol e suspeitas de fraude (Foto: Vinícius de Paula / Ag. Mirassol)

“Vou reservar o direito de não falar os nomes, nem os valores, mas surgiram dois jogadores que, infelizmente, confessaram para nós, citaram outros seis e também o nome do Claudemir Peixoto. Temos áudios gravados. É tudo suposição e não podemos acusar, mas, até para resguardar o clube, não poderíamos agir de forma diferente. Então, até por orientação da própria Federação Paulista de Futebol, registramos um boletim de ocorrência e fizemos a nossa parte de denunciar. Agora cabe as autoridades apurarem. Os jogadores falaram até de números , citaram os jogos e os placares que, segundo eles, teriam sido fabricados. Tem de tomar muito cuidado, mas registramos os fatos que supostamente aconteceram. Torço para que tudo isso seja mentira, mas não poderia me omitir”, afirmou Godoy.

Segundo informações de bastidores, os defensores Magno e Alex é quem delataram o esquema. Eles teriam soltado a informação a integrantes do elenco, que teria ficado indignado e forçado a dupla a contar o que acontecia à direção alvinegra. A conversa entre os jogadores e os cartolas teria sido gravada, mas o áudio ainda não foi revelado.

Do Paulistão 2013 à Segundona 2019: União cai com volante no gol e suspeitas de fraude (Foto: Douglas Teixeira / Ag. Briosa)
Do Paulistão 2013 à Segundona 2019: União cai com volante no gol e suspeitas de fraude (Foto: Douglas Teixeira / Ag. Briosa)

“O clima aflorou demais. Para chegar às vias de fato faltou pouco”, disse o volante Cláudio Britto ao Jornal O Liberal.

Segundo o Boletim de Ocorrência, Waldson, Rafael Magalhães, Wilker, Lincoln, Souza e Thiago Luis seriam os demais jogadores envolvidos no esquema. Além disso, segundo o Jornal O Liberal e a Rádio Luzes da Ribalta, três partidas teriam sido arranjadas. Na estreia, fora de casa, derrota por 2 a 0 para a Matonense; depois, outro revés na 15ª rodada, desta vez, para o Mogi Mirim, por 2 a 1; por fim, goleada de 4 a 0 do Capivariano, na 17ª rodada, ocasião em que Claudemir Peixoto foi demitido. No BO, porém, só consta o confronto com a SEMA.

A VERSÃO DE CLAUDEMIR
Em entrevista concedida à Rádio Luzes da Ribalta, de Santa Bárbara d´Oeste, Claudemir Peixoto, afirmou que não tem envolvimento nenhum com o caso.

“Eu estava viajando, resolvendo alguns problemas particulares quando vi meu nome envolvido nisso. Vou me pronunciar porque não tenho nada a ver com isso. Tenho história no União, não preciso disso. Fico chateado. Também falei com alguns jogadores, que me garantiram que não estão envolvidos. Mas isso não vai ficar assim não. Se alguém falou meu nome, vai ter de provar. Eu sempre trabalhei sério, nunca contei com a ajuda de ninguém. Se eu tivesse dinheiro, não estaria morando de aluguel. Tenho vergonha na cara”, disse ele.

“Inventaram uma bomba aí pra tirar o foco que o time caiu. Se eu tivesse R$ 40 mil, nem tava falando com você aqui agora, tinha pegado minha esposa e tinha ido passear”, completou ele ao Jornal O Liberal.

Do Paulistão 2013 à Segundona 2019: União cai com volante no gol e suspeitas de fraude (Foto: Douglas Teixeira / Ag. Briosa)
Do Paulistão 2013 à Segundona 2019: União cai com volante no gol e suspeitas de fraude (Foto: Douglas Teixeira / Ag. Briosa)

TEM MAIS!
A Federação Paulista de Futebol foi outra a se manifestar:

“A FPF, por meio de seu Comitê de Integridade, investiga todas as denúncias envolvendo possíveis infrações. O órgão é composto por executivos da FPF, Ministério Público, TJD-SP e Polícia Civil, e atua no combate e na investigação a infrações, desvios de conduta e manipulação de resultado no futebol paulista”.

CRISE NO GOL
No jogo diante do Marília, o goleiro titular, Alan Tobias, não apareceu para a partida. Em entrevista à Rádio Luzes da Ribalta, o arqueiro deu sua versão sobre isso.

“Eu optei por não entrar em campo após o treinamento de sábado porque me acusaram de receber um valor para entregar o jogo para o Marília. Sobre a questão da manipulação de resultados, não tem nada a ver, foi a questão do Marília, foi por isso que não entrei em campo”.