Médico da Ponte explica reunião com elenco e reforça pedido: 'Fiquem quietinhos'

Roberto Nishimura assegura que Macaca faz monitoramento diário durante 'folga' de 15 anos

por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 20 (AFI) - Antes de liberar o elenco por 15 dias a partir de derrota no Dérbi 196, graças à pandemia do coronavírus, a Ponte Preta reuniu os jogadores para explicar quais procedimentos seriam adotados em nível de treinamento físico e como evitar a contaminação do vírus.

Preocupado com o crescimento da doença no país, Roberto Nishimura detalhou como foi a reunião no Estádio Moisés Lucarelli antes de liberar o elenco no período de quarentena.

"A única medida de saúde pública eficaz, por enquanto, é isolamento social para que esse vírus não se espalhe para outras pessoas e que não sobrecarregue o sistema de saúde. Nós temos um papel de informar e tranquilizar a todos da nossa comunidade em que vivemos e também dentro do meu clube, atletas e funcionários. Então foi neste sentido que nós conversamos", revelou o Diretor Médico da Maacca, em entrevista à Rádio Bandeirantes de Campinas.

Nishimura explica reunião com elenco e reforça isolamento social - Luiz Guilherme Martins / PontePress
Nishimura explica reunião com elenco e reforça isolamento social
"Os atletas têm papel social muito importante. Eles falam muito forte à sociedade. Então eu coloquei isso para eles. Eles O monitoramento é diário. Qualquer um dos atletas que tiver qualquer sintoma de gripe e mal estar nos comunique e, principalmente, cuidado também com os próprios familiares", emendou.

LIBEROU

Roberto Nishimura reforçou o pedido de evitar aglomeração neste período crítico de saúde mundial e comentou que jogos com portões fechados não ajudam na contenção da doença.

"Fiquem quietinhos em casa. Essa é uma recomendação que o Ministério (da Saúde) vem reforçando. Isso é o que nós temos para o momento. Ainda não existem vacinas, nem medicamentos comprovadamente eficazes para combater esse vírus. Todos os nossos funcionários com acima de 60 anos já haviam sido dispensados na sexta-feira", emendou.

"Eu não recomendo fazer jogos com portões fechados. É uma mensagem contraditória. Nós queremos que haja um isolamento social, mas por que então levar para um jogo portões fechados? Veja... portões fechados proporciona o contato entre os atletas e a comissão técnica. Mas quem garante que a torcida envolta não vá comparecer?", finalizou.