Baptista pede mais concentração e intensidade aos jogadores da Ponte Preta

Mesmo com vantagem no placar, o time de Campinas teve outras oportunidades de ampliar

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 09 (AFI) – A Ponte Preta voltou de Belo Horizonte com um gosto amargo. Se já não bastasse a derrota por 2 a 1 para o Cruzeiro no Mineirão, o time de Eduardo Baptista deixou escapar a vitória no segundo tempo, quando tomou a virada em dois lances praticamente consecutivos. Além disso, o jogo adiantado da 28ª rodada do Campeonato Brasileiro deixou o clube com 31 pontos, apenas um na frente do Sport, que tem 30 e agora uma partida a menos.

Para o treinador faltou concentração e intensidade na Ponte Preta, que poderia ter aberto uma vantagem maior no primeiro tempo. “Fizemos um primeiro tempo muito bom, marcamos, conseguimos ter uma saída, acredito até que poderíamos ter saído um pouco mais. No segundo tempo sentimos essa sequência, alguns jogadores baixaram o ritmo um pouco, e tivemos dificuldade de atacar e de ter a bola. E o Cruzeiro, com sua qualidade, foi feliz e saiu com a vitória”, avaliou Eduardo Baptista.

Eduardo Baptista pede mais concentração e intensidade aos jogadores da Ponte Preta
Eduardo Baptista pede mais concentração e intensidade aos jogadores da Ponte Preta

Em uma jogada em velocidade pela direita Lucca invadiu a área e foi derrubado pelo goleiro. Danilo Barcelos cobrou a penalidade aos 12 para colocar a Ponte Preta na frente. Mesmo com vantagem no placar, o time de Campinas teve outras oportunidades de ampliar, mas não conseguiu passar por Rafael. Viemos para conquistar o resultado, estávamos conseguindo por grande parte do segundo tempo, mas infelizmente não deu. Agora em casa termos que buscar para continuar somando”, comentou o treinador.

Sobre as mudanças, uma aconteceu logo aos sete minutos do primeiro tempo, quando o lateral-esquerdo Artur teve que ser substituído por contusão. “É complicado. Ele vinha bem, tinha confiança, mas a lesão no início nos diminuiu. Já tínhamos alterações programadas por questões físicas e essa alteração inicial atrapalhou bastante”, revelou.

“Temos que manter a concentração por 90 minutos. Deixamos uma herança aqui no ano passado e isso mudou. Houve uma mudança de postura, com duas alterações de treinador e isso acaba modificando. Temos que manter a concentração e o físico por 90 minutos. Tivemos um primeiro tempo muito bom, onde o Cruzeiro só teve situações de longa distância. Aí essa concentração abaixou um pouco e foi onde o adversário entrou no jogo e fez a virada”, concluiu Eduardo Baptista.