HISTÓRICO! Salgueiro quebra tabu de 106 anos e é campeão pernambucano

Após empate no tempo regulamentar dos dois jogos, Carcará do Sertão venceu o Santa Cruz nos pênaltis por 4 a 3

por Agência Futebol Interior

Salgueiro, PE, 6 (AFI) - O Campeonato Pernambucano tem um campeão inédito. O Salgueiro, fundado em 1972 e refundado em 2005, venceu o Santa Cruz nos pênaltis e conquistou sua primeira taça na história. Além disso, o Carcará do Sertão quebra um tabu histórico: nunca um time do interior havia levantado a taça.

TODOS OS ESTADUAIS

Todos os Campeonatos Estaduais têm cobertura completa pelo Portal Futebol Interior. Os jogos podem ser acompanhados online pelo PLACAR AO VIVO e também pelo aplicativo.

O App Placar FI está disponível tanto no Google Play como na App Store.

CLIQUE AQUI E VEJA COBERTURA DE TODOS ESTADUAIS!

VEJA OS PENALTIS DO TÍTULO INÉDITO


LONGOS TABUS...

Em 106 edições do Campeonato Pernambucano, apenas times de Recife haviam conquistado o troféu. Ao todo, sete equipes haviam sido campeãs: Sport (42), Santa Cruz (29), Náutico (22), América (6), Torre (3), Tramways (2) e Flamengo do Recife (1). Com isso, o Carcará do Sertão quebra o tabu e torna-se o primeiro clube interiorano a soltar o grito de campeão.

Igualmente, outro tabu foi quebrado: nos últimos 76 anos, desde 1944, nenhum time fora Náutico, Santa Cruz e Sport havia sido campeão. O último a ganhar a taça local fora do Trio de Ferro da capital havia sido o América, hoje na segunda divisão do campeonato. Com isso, o clube sertanejo faz história e escreve o seu nome no livro de campeões do futebol pernambucano.

Salgueiro vence o Santa Cruz nos pênaltis e é campeão do Pernambucano (Foto: Rafael Melo / Santa Cruz) - Rafael Melo / Santa Cruz
Salgueiro vence o Santa Cruz nos pênaltis e é campeão do Pernambucano (Foto: Rafael Melo / Santa Cruz)

O JOGO

Dentro de campo, a exemplo do primeiro jogo, pouco se viu. Após empatarem a ida por 1 a 1 em jogo truncado, Santa Cruz e Salgueiro seguiram apostando na proposta de marcar forte e diminuir espaço dos adversários. No primeiro tempo, o Santa Cruz teve um gol anulado em lance duvidoso, aos 15 minutos. Jeremias mandou para as redes, mas foi assinalado impedimento.

Pouco depois, o Santa Cruz teve boa chance em falta frontal próxima a área, mas ficou nisso. Na volta do intervalo, apenas um lance de perigo: aos 35 minutos, o goleiro César Tanaka foi obrigado a fazer boa defesa em um ataque coral. Com a baixa produção o placar acabou zerado e foi para os pênaltis.

PÊNALTIS

Nas cobranças, Santa Cruz e Salgueiro começaram bem e acertaram as três primeiras rondas. Na quarta, Victor Rangel chutou para fora e deixou os sertanejos na frente. A vantagem só não foi melhor aproveitada porque Ranieri também desperdiçou a sua oportunidade de marcar.

Na última cobrança das penalidades regulares, o Carcará do Sertão voltou a ficar na frente. Após Ranieri desperdiçar o quarto chute dos sertanejos, André mandou forte na trave e perdeu o quinto do Santa Cruz. Com isso, coube a Muller Fernandes, vice-artilheiro do campeonato, mandar a bola para as redes e escrever a história em nome dos sertanejos.

MELHORES MOMENTOS DA DECISÃO

2021 RECHEADO!

A conquista do estadual trouxe ao Carcará um calendário recheado de jogos e cotas em 2021. Por ter conquistado o estadual, se classificou à Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série D do ano seguinte.

Além dele, Sport (grupos) e Santa Cruz (pré), pelo ranking nacional de clubes, também se classificaram à Copa do Nordeste. Para a Copa do Brasil, Santa Cruz e Retrô ficaram com as outras duas vagas. Para a Série D de 2021, o Retrô ficou com a segunda vaga do estado.

Ficha Técnica

Fase
Final
Rodada
2ª rodada
Data
05/08/2020
Horário
21h30
Local
Arruda - Recife (PE)
Árbitro
Diego Fernando Silva de Lima

Assistentes
Clovis Amaral da Silva e Bruno Cesar Chaves Vieira

Cartões Amarelos
Santa Cruz: Paulinho, Didira
Salgueiro: Sinho, Bruno Sena

Santa Cruz
Maycon Cleiton;
Toty, William Alves, Danny Morais e Fabiano;
André Silva, Paulinho e Didira (Mayco Felix);
Jeremias (Derlis Alegre) (Victor Rangel), Pipico e Augusto Potiguar (João Cardoso)
Técnico: Itamar Schülle
Salgueiro
César Tanaka;
Sinho (Dadinha), Ranieri, Arthur e Daniel;
Bruno Sena, Willian Daltro e Renato Henrique (Raimundinho);
Tarcísio (Muller Fernandes), Thomas Anderson (Alison Araçoiaba) e Ciel
Técnico: Daniel Neri