LUTO! Morre ex-zagueiro da Seleção Brasilera de 1950 e do Internacional

Natural de Porto Alegre, Nena foi vítima de câncer no pulmão. Ao lado de Nilton Santos, era o único atleta vivo que disputou a Copa de 1950

por Agência Futebol Interior

Goiânia, GO, 17 (AFI) – O futebol brasileiro se veste novamente de luto. O ex-jogador Olavo Rodrigues Barbosa faleceu nesta quarta-feira, aos 87 anos, em Goiânia, cidade em que morava desde 2003, ao lado da esposa. Mais conhecido como Nena, o ex-atleta era o último remanescente do chamado “Rolo Compressor”, equipe que marcou época pelo Internacional dos anos 40.

Além disso, o ex-zagueiro era, ao lado de Nilton Santos, o único jogador da Seleção Brasileira que disputou a Copa de 1950 e que permanecia vivo. Apesar do fato, Nena não chegou a atuar como titular no Mundial do Brasil. Natural de Porto Alegre, Nena foi vítima de câncer no pulmão. Tirando Internacional e Seleção Brasileira, o ex-zagueiro ainda defendeu a Portuguesa, mas se destacou mesmo foi com as cores dos dois primeiros, principalmente com a camisa colorada.

O Internacional recebeu o apelido de “Rolo Compressor” após conquistar de forma magnífica o título de hexacampeão gaúcho entre 1940 e 1945. O elenco do Colorado tinha, além de Nena, o ponta-direita Tesourinha, que também já defendeu a Seleção Brasileira, e ainda Carlitos, que segue sendo o maior goleador da história do clube, com 485 gols.

Nena também ficou conhecido como "Parada 18", em referência a um ponto de ônibus no Bairro Tristeza, na zona sul de Porto Alegre, localizado em frente a uma loja de atacado muito popular na época. Segundo a propaganda da loja no rádio, nenhum passageiro do ônibus Tristeza passava da Parada 18. Segundo os torcedores do Inter, nenhum atacante adversário conseguia passar por Nena. Ele era excelente nas bolas aéreas e tinha um bom porte físico.

Em 1951, transferiu-se para a Portuguesa, onde fez parte do melhor time da Lusa de todos os tempos, jogando ao lado de craques como Júlio Botelho, Pinga e Simão, e conquistando os títulos do Torneio Rio-São Paulo de 1952 e 1955. Parou de jogar em 1958, mas ainda ficou alguns anos na Portuguesa, como auxiliar técnico e mais tarde funcionário administrativo. Nos anos 1960, foi técnico das categorias de base do Corinthians.

 
 
" />