Final da Copa do Mundo na Rússia deixa a polícia em alta vigilância na França

A situação é ainda mais complexa porque, neste fim de semana, quatro eventos maiores têm lugar no país

por Agência Estado

  • A cobertura da Copa do Mundo é um oferecimento

São Paulo, SP, 13 - Há pelo menos três anos, as celebrações de 14 de julho, Dia da Bastilha, data nacional francesa, gera dor de cabeça para as autoridades públicas em razão do risco de atentados terroristas em Paris e no interior do país. Neste ano, a principal preocupação se concentra no 15 de julho, quando a França decide a Copa do Mundo da Rússia contra a Croácia. Depois da mobilização dos torcedores após a vitória sobre a Bélgica, o Ministério do Interior prevê que milhões de pessoas assistirão ao jogo decisivo em fan zones por todo o território.

A situação é ainda mais complexa porque, neste fim de semana, quatro eventos maiores têm lugar no país. Além das festas pela final da Copa do Mundo e pela data nacional, a Volta da França (mais tradicional competição de ciclismo do mundo) está em curso e, pelas estradas, uma multidão de motoristas é esperada em um dos mais importantes fins de semana de férias de verão na Europa.

A soma de acontecimentos deixa as autoridades em estado de alerta máximo em Paris contra a eventualidade de ataques de jihadistas. Dois anos após o atentado de Nice, que deixou 86 mortos e 458 feridos, o momento é de grande atenção. Mais de 80 mil policiais serão mobilizados no país - 12 mil apenas na capital e cidades metropolitanas.

Final da Copa do Mundo na Rússia deixa a polícia em alta vigilância na França
Final da Copa do Mundo na Rússia deixa a polícia em alta vigilância na França
Na Torre Eiffel, onde duas festas com centenas de milhares de pessoas ocorrem no intervalo de dois dias, as obras para a construção dos muros de vidro à prova de balas e de isolamento do monumento ainda não terão sido encerradas. Por isso, a visitação do público será interrompida. Em lugar de subir pelos elevadores da "Dama de Ferro", o público poderá acompanhar os shows da fan zone no Champ-de-Mars, o parque onde está a torre. Serão seis acessos, com barreiras para que cada torcedor passe por revista. São esperadas 90 mil pessoas.

O chefe de Polícia de Paris, Michel Depuech, fez um apelo nesta quinta-feira para que os torcedores cheguem com até sete horas de antecedência.

Entre terça-feira e domingo, a estratégia das autoridades mudou. Até as semifinais, só eram autorizados telões em locais fechados. Ao liberar as fan zones, o objetivo da polícia é de controlar o risco de distúrbios, que seriam maiores em caso de agrupamento espontâneo de multidões.

 
 
  • A cobertura da Copa do Mundo é um oferecimento
" />