Acusado de lavagem de dinheiro, presidente de time cearense é banido do esporte

O ex-dirigente foi acusado de se envolver em inúmeras irregularidades, como fraude em apostas, lavagem de dinheiro e desvio de verba

por Agência Futebol Interior

Barbalha, CE, 24 (AFI) - O presidente do Barbalha, Lúcio Barão, está banido do esporte. A decisão foi tomada na noite de terça-feira, pela Primeira Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol do Estado (TJDF-CE), que também multou o ex-dirigente em cerca de R$ 180 mil e o suspendeu por mais 90 dias. Cabe recurso ao Pleno.

MOTIVOS

Em maio, a Procuradoria do TJDF-CE pediu a abertura de um inquérito contra Lúcio Barão, além da suspensão preventiva de 30 dias, após as acusações feitas pelo vice-presidente Roberto Macedo.

Lúcio Barão
Lúcio Barão
O presidente do Barbalha foi acusado de se envolver em inúmeras irregularidades, como fraude em apostas, lavagem de dinheiro e desvio de verba.

Além dele, foram denunciados também o tesoureiro do Barbalha, Gilson Alves Feitosa, e o membro do Conselho do clube cearense, Cícero Nacélio dos Santos.

Estes receberam multas de R$ 40 mil e R$ 60 mil, respectivamente.

CONDENAÇÃO

Ele foi condenado com base no artigo 191 (Deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento de obrigação legal) e no artigo 239 (Deixar de praticar ato de ofício, por interesse pessoal ou para favorecer ou prejudicar outrem ou praticá-lo, para os mesmos fins, com abuso de poder ou excesso de autoridade).

Já a suspensão foi baseada no artigo 228 (exercer cargo, função ou atividade, na modalidade desportiva, durante o período em que estiver suspenso por decisão da Justiça Desportiva).

SITUAÇÃO DO TIME

Na segunda fase do Campeonato Cearense, o Barbalha está na penúltima colocação, com os mesmos três pontos do lanterna Pacajus.

Com Roberto Macedo como presidente, o Barbalha dispensou seu elenco nesta pandemia e fechou parceria com time da segunda divisão estadual. Irá usar o CT, elenco e comissão técnica do União.