CATARINENSE: Avaí vence Chape nos pênaltis e volta a ser campeão após sete anos

Com a conquista, o Avaí encerra um jejum instaurado após 2012, ano do último título estadual

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 21 (AFI) - O Avaí conquistou na tarde deste domingo o seu 17º título do Campeonato Catarinense. A taça foi levantada na Ressacada, onde o time do técnico Geninho venceu a Chapecoense por 4 a 2 nos pênaltis, após empate por 1 a 1 no tempo regulamentar, com gols de Alex Silva e Régis.

Nos pênaltis, Vladimir pegou a cobrança de Aylon e Bruno Pacheco acertou o travessão. Com a conquista, o Avaí encerra um jejum instaurado após 2012, ano do último título estadual.

COBERTURA COMPLETA

O Portal FUTEBOL INTERIOR acompanha todos os Campeonatos Estaduais do Brasil online pelo PLACAR AO VIVO e também depois com comentários e destaques da rodada.

Baixe também o Aplicativo - App Placar FI - tanto pelo Google Play como APP Store.

VEJA TODOS OS DETALHES DOS ESTADUAIS!

A CAMPANHA

Seguir com a base do elenco do ano passado e dar continuidade ao técnico Geninho credenciaram o time da capital como favorito desde o início da competição. Mesmo com um início de altos e baixos, o clube engrenou uma sequência de cinco vitórias consecutivas e assumiu a liderança da competição, com o melhor ataque (34 gols marcados) e a melhor defesa (sete gols sofridos).

Além disso, tem o artilheiro da competição: Daniel Amorim, com nove tentos. Tudo isso no ano em que voltará à disputar a Série A do Brasileirão, após o acesso do ano passado.

GOLAÇO
Em campo, logo aos nove minutos o Avaí teve uma boa oportunidade com João Paulo, depois de Getúlio dividir com Gum. Na sobra, João Paulo chutou, mas a bola passou raspando na trave e saiu pela linha de fundo.

Foto: Frederico Tadeu / AVAÍ F.C
Foto: Frederico Tadeu / AVAÍ F.C

Aos 25, João Paulo tocou para Pedro Castro, mas a marcação antecipou e tirou o perigo colocando para escanteio.

Apresentando um futebol com forte marcação, dificultando a criação do Avaí, a Chapecoense abriu o placar com um golaço do garoto Regis, aos 41 minutos de jogo.

O chute foi da intermediária. Uma bomba na gaveta, sem chance para Vladimir.

EMPATE E QUASE VIRADA
Logo no início da etapa final, o Avaí quase empatou aos cinco minutos. Moritz lançou João Paulo livre, ele dominou e chutou na saída de Tiepo.

O zagueiro Douglas se esticou todo e evitou o empate quase que em cima da linha. Na sequência, aos 13, o Avaí teve falta a seu favor pela esquerda. Gegê cobrou com perfeição, mas a bola explodiu na trave e saiu.

De tanto tentar, o gol do Avaí saiu aos 30 minutos. Luan Pereira cruzou pela direita para Alex Silva, entre os marcadores, subir mais alto e, de cabeça, colocar no placar Avaí 1×1 Chapecoense.

Já aos 44 minutos, por muito pouco o Avaí não virou o placar. Em cobrança de falta pela esquerda, André Moritz colocou a bola naárea, Getulio desviou e o goleiro Tiepo fez uma brilhante defesa.

PÊNALTIS
Já nas penalidades máximas, João Paulo abriu o placar para o Avaí. Campanharo cobrou para a Chapecoense e fez 1 a 1. Na segunda cobrança, Luan Pereira fez 2 a 1 para o Avaí. Rafael Pereira cobrou para a Chape e fez 2 a 2.

Na terceira batida, Pedro Castro colocou no cantinho. 3 a 2. Aylon bateu para a Chapecoense e Vladimir fez a defesa abrindo a vantagem para o Avaí. Na quarta cobrança, Jonnes Carioca fez 4 a 2 para o Avaí. Bruno Pacheco cobrou para a Chapecoense e perdeu!

Ficha Técnica

Fase
Final
Rodada
1ª rodada
Data
21/04/2019
Horário
16h00
Local
Ressacada - Florianópolis (SC)
Árbitro
Bráulio da Silva Machado

Renda
R$ 439.555,00.
Assistentes
Helton Nunes e Alex dos Santos

Público
15.876 torcedores
Cartões Amarelos
Avaí: André Moritz , João Paulo, Luan Pereira, Alex Silva, Iury
Chapecoense: Amaral, Everaldo, Gustavo Campanharo

Gols
Avaí: Alex Silva 30' 2T
Chapecoense: Régis 41' 1T
Avaí
Vladimir:
Alex Silva, Betão, Marquinhos Silva e Iury;
Mosquera, Pedro Castro e Gegê (Luan Pereira);
João Paulo, Getúlio e Brizuela (Jones).
Técnico: Geninho
Chapecoense
Tiepo;
Eduardo (Rafael Pereira), Gum, Douglas e Bruno Pacheco;
Márcio Araújo, Elicarlos (Lourency) e Campanharo;
Aylon, Everaldo e Régis (Amaral).
Técnico: Ney Franco