Avaí 0 x 1 Chapecoense - Vitória ainda deixa Chape à espera de um milagre para não cair

Chape continua na vice-lanterna e bem atrás dos concorrentes, mas conta com a matemática. O Avaí sofreu sua 22.ª derrota

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 24 (AFI) - Na luta para sobreviver à elite nacional após seis anos, a Chapecoense venceu o Avaí por 1 a 0, neste domingo à noite, no estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC) pela 34.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Agora com 28 pontos, mas ainda em penúltimo lugar, não depende mais de suas próprias forças nas últimas quatro rodadas para evitar a queda à Série B. O Avaí, já rebaixado com apenas 18 pontos, atingiu a marca negativa de 22 derrotas.

VEJA O GOL DA VITÓRIA DA CHAPECOENSE !

COMEÇO SONOLENTO
O primeiro tempo foi muito fraco tecnicamente. O Avaí ainda começou em cima, tentando explorar as laterais do campo para chegar em condições de finalizar. Mas não acertou nenhum chute em gol.

A Chapecoense também apresentou um repertório pobre, limitando-se apenas nos levantamentos na área para as cabeçadas de Everaldo.

SEM MUDANÇAS
Os times voltaram iguais para o segundo tempo, porém, com mais disposição. Ainda no primeiro minuto, Roberto aproveitou falha de Kunde para finalizar. Mas bateu com o pé ruim, o direito, e a bola foi para fora.

Aos cinco minutos, numa dividida forte, Hiago acabou expulso. Ele levantou o pé de forma exagerada e deixou a sola na barriga de Matheus Barbosa, do Avaí. O árbitro paulista Raphael Claus mostrou de primeira o cartão vermelho, o que gerou reclamações por parte dos visitantes.

TROCA E CLIMÃO
Na sequência, o técnico Marquinhos Santos tentou recompor a marcação colocando o zagueiro Maurício Ramos no lugar do meia Camilo. Este não gostou, fez cara feia, levantou os braços e reclamou com o técnico que também revidou verbalmente. O clima ficou tenso no banco da Chapecoense.

A ‘chapa esquentou’ pelo lado do Avaí aos 12 minutos, quando o criticado Matheus Barbosa iria ser substituído por Luan Pereira quando fez gestos obscenos à torcida – levantou o dedo médio - e também recebeu o cartão vermelho direto. Cada time ficou com 10 jogadores em campo.

AS CHANCES

Chapecoense respira com a vitória sobre rival
Chapecoense respira com a vitória sobre rival

Aos poucos, o Avaí diminuiu o ritmo e a Chapecoense se aproveitou disso. Aos 27 minutos, o goleiro Vladimir evitou o gol ao espalmar chute no alto de Everaldo. O atacante parecia mesmo ser a única esperança do time de Chapecó.

Aos 31 minutos ele marcou o gol da vitória, batendo de chapa o cruzamento vindo do lado esquerdo de Renato Kayser, que tinha acabado de entrar no lugar de Gustavo Campanharo. Este foi o 13.ª gol dele.

VAIAS E AGRADECIMENTO
Os poucos torcedores que foram ao estádio começaram a vaiar o time da casa, que apesar da promessa de jogar pela honra acumulou nove derrotas e um empate nos últimos dez jogos sob o comando do interino Evando Camillato.

Mais vaias no apito final e muita festa pelo lado da rival Chapecoense, ainda vivo na competição, embora continue à espera de um milagre.

JOGOS NA QUARTA-FEIRA
Na próxima rodada, no meio de semana, o Avaí vai enfrentar o Corinthians, quarta-feira, às 21h30, em São Paulo (SP). Na mesma noite, porém a partir das 19h30, a Chapecoense vai receber o Botafogo, que ainda não confirmou sua presença na elite em 2020.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
34ª rodada
Data
24/11/2019
Horário
19h00
Local
Ressacada - Florianópolis (SC)
Árbitro
Raphael Claus (SP)

Renda
R$ 37.140,00
Assistentes
Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Anderson José de Moraes Coelho (SP)

Público
2.316 presentes
Cartões Amarelos
Chapecoense-SC: Douglas

Cartões Vermelhos
Avaí-SC: Matheus Barbosa
Chapecoense-SC: Hiago
Gols
Chapecoense-SC: Everaldo 31' 2T
Avaí-SC
Vladimir;
Lourenço (Matheus Lucas), Kunde, Marquinhos Silva e Igor Fernandes; Luanderson (Luan Pereira), Richard Franco e Matheus Barbosa:
Caio Paulista (Igor Goularte), Vinícius Araújo e João Paulo
Técnico: Evando Camillato
Chapecoense-SC
João Ricardo;
Eduardo, Douglas, Hiago e Bruno Pacheco;
Márcio Araújo, Camilo (Maurício Ramos) e Gustavo Campanharo (Renato Kayzer);
Arthur Gomes (Dalberto), Everaldo e Roberto
Técnico: Marquinhos Santos.