Após reunião com autoridades, CBF exalta preocupação com violência no futebol

A entidade defendeu a atuação conjunta com o Ministério Público para implementar ações que ajudem a reduzir este problema

por Agência Estado

Rio de Janeiro, RJ - Em encontro realizado na última terça-feira em sua sede, no Rio, a diretoria da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) se reuniu com autoridades para discutir medidas de combate à violência no futebol.

Um dia após o encontro, a entidade se pronunciou oficialmente nesta quarta-feira para falar sobre os temas tratados na reunião, prometeu colaborar com os órgãos responsáveis e defendeu a atuação conjunta com o Ministério Público para implementar ações que ajudem a reduzir este problema tão presente nas competições realizadas no País no esporte mais popular do planeta.

"A CBF estará sempre aberta para todo tipo de discussão que busque o melhor para o nosso futebol. Queremos o Ministério Público conosco. Basta um ofício, que sempre cumpriremos e tomaremos as iniciativas", disse Marco Polo Del Nero, presidente da CBF, por meio de declarações reproduzidas pelo site oficial da entidade.

Venda de bebidas alcoólicas nos estádios, identificação biométrica de torcedores e novos protocolos e planos de ação foram algumas das pautas discutidas na reunião da última terça-feira. E agora a CBF promete intensificar as campanhas de combate à violência, mas sabe que sem uma ação conjunta não tem chances de obter sucesso.

Violência está cada vez mais rotineira no futebol brasileiro
Violência está cada vez mais rotineira no futebol brasileiro
TEM SOLUÇÃO?
"Não existe solução para os problemas causados pela violência que não passe pela integração e que não possa ser aplicada de uma maneira universal. (A violência) É uma situação de alta gravidade. Precisamos de uma resposta inteligente para proteger o espetáculo e o principal interessado que é o torcedor", disse Walter Feldman, secretário-geral da CBF, na abertura da reunião da terça.

O encontro aconteceu na sede da entidade contou com a presença de membros do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), representantes de órgãos de segurança pública e promotores de Justiça de diversos estados.

Uma das iniciativas concretas anunciadas pela CBF foi a preparação de uma ação educativa voltada aos torcedores. "Nossa proposta é a realização de uma campanha contínua nos diversos canais de comunicação durante todo os períodos das nossas competições, envolvendo todos os parceiros e atores que fazem parte do espetáculo", explicou Rômulo Reis, coordenador de Estádios e Segurança da Diretoria de Competições da CBF.

 
 
" />