Sindicato dos Jogadores pede máximo de três jogos a cada 14 dias

A entidade ouviu 543 jogadores entre fevereiro e abril

por Agência Estado

São Paulo, SP, 08 - O Sindicato Mundial de Jogadores Profissionais de Futebol (FIFPro, na sigla em inglês) divulgou um comunicado oficial nesta sexta-feira para solicitar algumas mudanças que visam melhorar a situação física dos atletas ao redor do planeta.

Entre as quais, o órgão pediu que seja respeitado um período maior de descanso entre as partidas após concluir que calendários atuais não estão totalmente alinhados "para proteger suficientemente a saúde e capacidade de rendimento" dos jogadores.

O FIFPro se manifestou publicamente em relação ao assunto uma semana antes do início da Copa do Mundo, que começa na próxima quinta-feira, na Rússia, e cobrou mudanças com base em uma pesquisa que realizou com 543 jogadores, entrevistados entre fevereiro e abril.

Jogadores foram ouvidos para que as decisões fossem tomadas
Jogadores foram ouvidos para que as decisões fossem tomadas

Eles defendem clubes das ligas nacionais da Inglaterra, França, Alemanha e Itália e, entre os quais, 300 atuam ou já jogaram pelas seleções de seus países.

ITENS ENUMERADOS
Com sede na Holanda, o importante sindicato que defende os direitos dos profissionais do futebol enumerou itens que considera relevantes para melhorar a qualidade de vida e de saúde dos atletas.

No primeiro deles, destacou que eles "devem ter pelo menos 72 horas de tempo de recuperação entre as partidas". E, ao grifar com um asterisco este pedido, enfatizou que "como regra geral, os jogadores não devem fazer mais do que três jogos a cada duas semanas".

Em outro item, o FIFPro pediu que os atletas tenham um "tempo extra de recuperação depois de longos voos internacionais". O sindicato também pediu que seja implementada uma pausa no meio da temporada de 10 a 14 dias e que o período de férias seja de quatro a seis semanas (sem incluir o período de preparação na pré-temporada).

OS NÚMEROS
A FIFPro disse que 46% dos jogadores entrevistados nesta sua recente pesquisa disseram ter disputado uma média de 50 partidas ou mais em cada uma das duas últimas temporadas e consideraram que estavam disputando um número muito grande de jogos.

O sindicato ainda revelou que, de forma geral, os jogadores que defendem seleções nacionais e foram ouvidos neste estudo disseram que precisam de cinco semanas de férias entre as temporadas para voltarem aos treinos com a condição física plenamente recuperada. O órgão ainda informou que 88% dos entrevistados defenderam a inserção de uma pausa no calendário, no meio da temporada, com um tempo médio de duas semanas.

Após divulgar os dados desta pesquisa, a FIFPro disse já estar entrando em contato com a Fifa, com os organizadores dos campeonatos e com os clubes para que "adotem estes requisitos internacionais mínimos para proteger a saúde dos jogadores profissionais".

A disputa do Mundial de 2018 fará muitos jogadores esticarem as suas temporadas atuais e se submeterem a um desgaste físico ainda maior do que já teriam normalmente. O sindicato se manifestou, por sua vez, no mesmo dia em que a Associação de Futebol da Inglaterra confirmou que vai introduzir uma pausa de inverno de duas semanas no Campeonato Inglês a partir da edição 2019/2020 da competição.

 
 
" />