Após tragédia, conheça os 19 jogadores que ficarão na história da Chape

O Futebol Interior preparou um especial para relembrar a carreira de todos

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 29 (AFI) - A madrugada desta terça-feira, 29, deixou o mundo do futebol chocado com a maior tragédia na história do esporte. Setenta e cinco pessoas morreram no Voo 2933 da empresa Lâmia, que transportava o elenco da Chapecoense, mais convidados, para a cidade de Medellin, na Colômbia, de olho na final da Copa Sul-Americana. A aeronave caiu na cidade de Antiquoa, apenas a 30 quilômetro do aeroporto de Rionegro, seu destino final. Entre os mortos, 20 eram jogadores. O Futebol Interior preparou um especial para relembrar a carreira de todos.

Um primeiro avião saiu do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, para Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, onde deixou todos intactos. De lá, a empresa Lâmia embarcou todos aproximadamente meia noite, horário de Brasília, em direção a Colômbia. A aeronave perdeu o contato com a torre a partir 01:15 da madrugada desta terça. Apenas o lateral-esquerdo Alan Ruschel, o goleiro Jackson Follmann e zagueiro Neto sobrevieram a tragédia. Confira a homenagem do FI:

Camisa 1: Danilo (31/07/1985 – 34 anos)

Será pra sempre lembrado pelo torcedor como o herói da classificação à final da Sul-Americana, mas não teve um início da carreira fácil. Nascido no interior do Paraná, Marcos Danilo Padilha começou a carreira no Cianorte em 2004. Depois de passar por Engenheiro Beltrão, Nacional de Rolândia, Paranavaí e Operário-PR, só foi ganhar uma oportunidade com o Arapongas, em 2010.

Com destaque pelo seu tamanho (1,85) e reflexos, o goleiro passou a chamar atenção de clubes da região, já que rapidamente assinou com o Londrina em 2011, onde ficou duas temporadas e disputou a Série D do Campeonato Brasileiro. Em 2013 finalmente chegou a Chapecoense e não saiu mais debaixo das traves: foram 152 jogos oficiais em três anos.

Camisa 2: Gimenez (18/06/1995 – 21 anos)

Um dos jogadores mais jovens do elenco da Chapecoense, Gimenez ainda estava no início da carreira, mas já tinha bastante moral com o técnico Caio Júnior e era bastante aproveitado.Aos 21 anos, Gimenez tinha seu espaço no grupo e jogou 51 partidas com a camisa da chape neste ano.
Versátil, atuava como lateral-direito e volante.Nascido em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, o volante passou pelos principais clubes da cidade. Deu seus primeiros passos no sub-17 do Olé Brasil, mas ainda nas categorias de base passou a atuar pelo Comercial, onde fez sua estreia com profissional. Depois, em 2015, foi para o Botafogo-SP e no mesmo ano chamou a atenção do Goiás. No início de 2016, fechou com a Chape e foi campeão catarinense.

Camisa 5: Josimar (18/08/1986 – 30 anos)

Rodado por grandes times do futebol brasileiro, o volante Josimar era um dos nomes mais experientes do elenco e também um dos líderes. Ele foi revelado pelo Internacional, mas em seus primeiro anos integrou apenas o time B colorado.
Depois de rodar por Brasil de Pelotas, Fortaleza e Al-Watani, da Arábia Saudita, Josimar retornou ao Inter em 2010 e da conquista dos Campeonato Gaúchos de 2012 e 2013. Após sair do clube, ainda passou por Ponte Preta e Palmeiras, antes de chegar na Chapecoense, onde conquistou o Catarinense e sonhava com a Sul-Americana.

Camisa 6: Dener Assunção (28/07/1991 – 25 anos)

O lateral-esquerdo começou como uma promessa do Grêmio. Nascido em Bagé, no interior do Rio Grande do Sul, chegou ao tricolor gaúcho em 2009 e teve poucas oportunidades para mostrar seu futebol. Acabou emprestado ao Guarany de Bagé e depois Veranópolis, Vitória e Caxias, onde acabou comprado em 2012. Novamente sem espaço, assinou com o Ituano em 2014.

Com o clube paulista conquistou o histórico Campeonato Paulista de 2014 com o time titular. A visibilidade foi tanta que acertou com o Coritiba para o segundo semestre, onde também chamou a atenção. Na temporada seguinte viajou para Santa Catarina defender a Chapecoense, onde este ano foi campeão do Campeonato Catarinense.

Camisa 8: Gil (03/09/1987 – 29 anos)

José Gildeixon Clemente de Paiva é um potiguar nascido em Santo Antônio, distante da capital do Rio Grande do Norte. Baixinho e com habilidade no pé direito, ele começou sua carreira em 2006 com o Mogi Mirim, ainda na base, mas logo ganhou uma oportunidade no profissional. Pouco tempo depois assinou com o Guaratinguetá, onde ficou duas temporadas.

Em 2011, o volante defendeu a Ponte Preta – depois de uma rápida passagem por Vitória e Santo André. Sem espaço, deixou Campinas para assinar com o Coritiba, onde ficou por quase cinco anos e venceu dois Campeonatos Paranaenses. No final de 2015 chegou na Chapecoense e levou o Campeonato Catarinense deste ano.

Camisa 9: Bruno Rangel (11/12/1981 – 34 anos)

O gigantesco Bruno Rangel Domingues nasceu na gloriosa cidade de Campos dos Goytacazes, no interior do Rio de Janeiro. Com 1,81m e muita velocidade, ele ganhou rapidamente espaço no time da casa em 2002, já com 21 anos. Brigando muito por um espaço, ele só foi conseguir se destacar no Paysandu, em 2010, onde levantou o título do Campeonato Paraense e ainda ficou com a artilharia da Série C do Campeonato Brasileiro, com nove gols.

Ele foi campeão do mesmo torneio com o Joinville no ano seguinte, passou ainda pelo Metropolitano, antes de chegar a Chapecoense pela primeira vez em 2013, quando foi artilheiro da Série C com incríveis 31 gols. Defendeu o Al-Arabi do Qatar por uma temporada, mas logo voltou para Chapecó em 2014, onde ficou até esta terça-feira. Este ano foi campeão e artilheiro do Catarinense, com 10 gols.

Camisa 11: Ananias (20/01/1989 – 27 anos)

Maranhense, o atacante Ananias Eloi Castro Monteiro nasceu na capital São Luís e logo começou no futebol. Com apenas quinze anos chegou ao Bahia, onde rapidamente ganhou uma oportunidade. Em 2007 estreou pelo time principal, onde ficou até 2012, quando foi emprestado a Portuguesa. Mais tarde passou por Cruzeiro e Palmeiras, onde inclusive foi campeão da Série B do Campeonato Brasileiro, além do Sport, antes de chegar a Chapecoense em 2015.

Ganhou destaque nacional, caiu ‘na boca da galera’ e ganhou o apelido de ‘Ananiesta’ ao marcar o primeiro gol na Arena Palmeiras, no dia 19 de novembro de 2014. Defendendo do Sport, ele foi responsável pela vitória por 2 a 0, que teve também um gol de Patric. Já com a Chapecoense, Ananias marcou fora de casa no empate por 1 a 1 contra o San Lorenzo, na semifinal da Sul-Americana. Foi também campeão Catarinense deste ano.

Camisa 13: Marcelo (26/08/1991 – 25 anos)

O zagueiro Marcelo também tinha a confiança de Caio Júnior e era utilizado com uma certa freqüência na equipe. Antes de acertar com a Chapecoense, passou cerca um ano meio defendendo a camisa do Flamengo, atingindo o melhor momento de sua carreira até então.

Antes de acertar com o gigante carioca, o jogador atuava pelo Cianorte e mesmo sem muita visibilidade chamou atenção de clubes maiores. Natural de Juiz de Fora, Minas Gerais, foi revelado pelo Volta Redonda.

Camisa 21: Mateus Caramelo (30/08/1994 - 22 anos)

O lateral-direito Mateus Caramelo iniciou sua carreira de atleta na categoria de base do Mogi Mirim. No Sapão da Mogiana, o lateral passou pelas categorias Sub-15, Sub-17 e Sub-20, onde conquistou o título paulista no ano de 2013 contra o Botafogo de Ribeirão Preto.

No mesmo ano, em 2013, Mateus Caramelo teve sua transferência acertada para o São Paulo. O lateral ainda atuou pelo Atlético Goianiense, em 2014, antes de acertar com a Chapecoense. Ele era outro nome entre os mais jovens do elenco vítima da tragédia, com apenas 22 anos de idade.

Camisa 23: Lucas Gomes (29/05/1990 – 25 anos)

Natural de Bragança, do Pará, Lucas Gomes começou a carreira no Bragantino-PA, time da cidade. Chegou à Chapecoense no início do ano e se mostrou uma arma ofensiva bastante importante para o time. Em 55 jogos, marcou oito gols.
Ele estava emprestado à Chape pelo Londrina, após passagem pelo Fluminense em 2015. Antes disso, o time paranaense ainda o emprestou Icasa, Sampaio Corrêa e Tuna Luso. Também já passou por outras equipes de sua terra natal, como São Raimundo, TREM, Castanhal e Ananindeua.

Camisa 27: Thiego (22/07/1986 – 30 anos)

Experiente, o zagueiro Thiego era um dos pilares defensivos da Chapecoense, mas também teve seu brilho no ataque. Desde 2015 no clube, marcou nove gols em 84 jogos disputados com a camisa do Verdão. O momento era tão bom que ele tinha negociações avançadas para ser anunciado como reforço do Santos.

Nascido em Aracaju, Thiego deu seus primeiro passos no Sergipe, mas ainda nas categorias de base foi contratado pelo Grêmio, onde foi promovido ao time profissional em 2007. Depois, passou por times como Ceará, Bahia e Figueirense. Também defendeu o Kyoto Sanga, do Japão, e o Khazar, do Azerbaijão.

Camisa 33 : Kempes (03/08/1982 – 34 anos)

Aos 34 anos, Kempes vivia um dos melhores momentos de sua carreira, com boas atuações e 16 gols marcados na temporada. Era, sem dúvida, peça fundamental da equipe de Caio Júnior, onde se revesava na equipe titular com Bruno Rangel, outra vítima da tragédia. Natural de Carpina, no Pernambuco, o jogador começou a carreira no Nacional de Muriaé e logo ganhou uma chance no Paraná Clube, onde começou a traçar sua carreira.

Dede então, rodou bastante pelo Brasil, passando por Vitória-ES, Estrela do Norte, Sertãozinho, 15 de Novembro, Ceará, Caxias, Ipatinga, Criciúma, Portuguesa, Novo Hamburgo e América Mineiro. A partir de 2012, teve experiência internacionais no Japão, onde defendeu o Cerezo Osaka e o JEF United. Em 2015, retornou para o Brasil para defender o Joinville e no início de 2016 acertou com a Chapecoense. Foi campeão capixaba pelo Vitória e já estava no elenco do Verdão na conquista do Catarinense.

Camisa 35: Sérgio Manoel (08/09/1989 – 27 anos)

O volante Sérgio Manoel enfrentou um período difícil com muitas lesões, que o tiraram de muitos jogos desta temporada. Porém, ele experimentou uma bela redenção ao voltar a balançar as redes após quatro anos sem fazer gols. Recentemente, ainda marcou mais um, diante do Botafogo.
Natural de Xique Xique, Bahia, Sérgio começou a carreira no Nacional, de São Paulo.

Depois, rodou bastante por times paulistas, jogando por Atlético Araçatuba, Batatais, Rio Preto, Mirassol e Água Santa, seu último time antes da Chapecoense, que o contratou após ele se destacar no Campeonato Paulista. Também passou por Coritiba, Atlético-GO e Paysandu.

Camisa 45: Filipe Machado (13/03/1984 – 32 anos)

O zagueiro canhoto também demorou para engrenar no futebol profissional. Nascido em Gravataí, no Rio Grande do Sul, ele só conseguiu assinar com o Internacional em 2002, quando já tinha 18 anos. Filipe José Machado passou por Fluminense, Esportivo, Duque de Caxias, Resende, Guaratinguetá e Macaé, antes de assinar com a Chapecoense, todos pelo futebol brasileiro.

Ainda assim ele também ficou conhecido fora do país canarinho, já que defendeu o Pontevedra da Espanha, o Salemitana da Itália, o Inter Baku do Azerbajão, o Al Dhafra e o Fujairah do Emirados Árabes, e o Saba Qom do Irã. Foi no CSKA Sófia da Bulgária onde ganhou mais destaque. Ainda no Brasil, Filipe Machado foi campeão da Série C com o Macaé em 2014.

Camisa 50: Arthur Maia (13/10/1992 – 24 anos)

Jogador que rapidamente ganhou o carinho da torcida, Arthur Brasiliano Maia nasceu em Maceió, a capital de Alagoas. Buscando seu espaço no futebol, o meia só encontrou uma oportunidade no Vitória, em 2003, com apenas 11 anos. Ficou sete anos no clube até chegar ao profissional em 2010. Três anos mais tarde foi emprestado ao Joinville.

Em 2012 foi considerado o melhor jogador da Copa do Brasil Sub-20, o que lhe abriu portas.

A carreira do ‘Maiadona’ ainda tem o América de Natal e o Flamengo em 2015, antes de ser vendido para o Kawasaki Frontale do Japão no segundo semestre. Este ano voltou para o Brasil para defender a Chapecoense no Campeonato Brasileiro e vinha como principal peça do grupo.

Camisa 70: Ailton Canela (18/11/1994 – 22 anos)

Era um jovem promissor do clube catarinense. Nascido em Matão, no interior de São Paulo, conseguiu assinar seu primeiro contrato profissional em 2012, quando defendeu a Inter de Bebedouro. Passou pelo Vitória do Espírito Santo, Monte Azul e Olímpia antes de chegar ao Botafogo de Ribeirão Preto, onde foi campeão do Campeonato Brasileiro da Série D.

Nesta temporada o ponta esquerda Ailton Cesar Junior Alves da Silva defendeu o Cianorte antes de chegar a Chapecoense. Com velocidade, ele também atuava improvisado como centro-avante e fez seis jogos com o time principal neste Brasileirão.

Camisa 77: Matheus Biteco (28/05/1995 – 21 anos)

Um dos caçulas do elenco, o volante Matheus Biteco, também o irmão do meio de uma família de boleiros. Seu irmão mais velho, Guilherme Biteco, é meia-atacante e joga pelo Ceará., e o mais novo, Gabriel Biteco, joga nas categorias de base do Grêmio.

Matheus ainda buscava seu espaço, mas vinha em uma boa sequência de jogos na Chape. Neste ano, há quatro meses, comemorou o nascimento de seu primeiro filho. Assim como os irmãos, começou a carreira na base gremista . Foi promovido ao time profissional em 2013 e ficou lá até 2015, com uma passagem pelo Barra-SC no meio do caminho

Camisa 88: Cléber Santana (27/06/1981 – 35 anos)

Talvez um dos jogadores mais vitoriosos e experientes do grupo. Com 35 anos, Cléber Santana Loureiro começou a carreira no Sport, ainda na base, em 1999. Nascido na cidade de Abreu e Lima, em Pernambuco, ganhou uma oportunidade no time principal e conquistou uma sequência de títulos: bicampeonato pernambucano (2000 e 2003), a Copa do Nordeste em 2000 e a Copa Pernambuco em 2003.

De lá viajou para Salvador defender o Vitória, onde conquistou o Campeonato Baiano de 2004, e mais tarde o bicampeonato paulista com o Santos (2006 e 2007). Com um currículo invejável, o meia assinou com o Atlético de Madrid, em que levantou a Liga Europa. Voltou ao Brasil para assinar com o São Paulo, mas acabou passando por Atlético-PR, Avaí, Flamengo, Avaí e Criciúma, antes de chegar a Chapecoense.

Camisa 94: Tiaguinho (04/06/1996 – 22 anos)

Outro nome entre os mais jovens do acidente, o atacante Tiaguinho faleceu dias depois de descobrir que seria pai do primeiro filho. Um vídeo que circula pela internet mostra o momento em que seus companheiros o surpreendem com a notícia.

Ele tinha 22 anos e nasceu em Trajano de Moraes, no Rio de Janeiro. A carreira como jogador de futebol profissional começou no XV de Piracaicaba, em 2015. No mesmo ano, ainda passou pelo Metropolitano e pelo Cianorte. Em 2016 voltou para o Metropolitano e chamou a atenção da Chape ao marcar cinco gols no Campeonato Catarinense.