ATUAÇÕES: Em noite de pouca inspiração, Renato Augusto e Gabriel Jesus chamam atenção

O Brasil ganhou da Venezuela por 2 a 0 em Mérida e teve uma atuação regular

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 12 (AFI) - A Seleção Brasileira não repetiu a atuação impecável que teve contra a Bolívia, mas mesmo assim conseguiu a quarta vitória em quatro jogos sob o comando de Tite na noite desta terça-feira, ao bater a Venezuela, por 2 a 0, no Estádio Metropolitano, em Mérida, pela décima rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018.

Contra a Venezuela, o Brasil não teve Neymar, suspenso, e por isso o coletivo chamou mais atenção do que o individual, como já era esperado. O sistema defensivo teve uma atuação segura e soube se comportar bem nos momentos de pressão. O meia Renato Augusto e o atacante Gabriel Jesus foram os brasileiros que tiveram as melhores notas.

Seleção Brasileira teve uma atuação apenas regular diante da limitada Venezuela
Seleção Brasileira teve uma atuação apenas regular diante da limitada Venezuela
CONFIRA AS ATUAÇÕES DO FI

Goleiro: Alisson (Nota: 6)

Fica até difícil dar uma nota para o goleiro brasileiro, que praticamente não foi exigido ao longo dos 90 minutos. No entanto, na única vez que Rondón ganhou de Miranda e cabeceou forte, Alisson mostrou reflexo e atenção, espalmando pela linha de fundo com as pontas dos dedos.

Lateral-direito: Daniel Alves (Nota: 6,5)
Já foi bastante criticado por não ser tão efetivo na defesa quanto é no ataque, mas a idade parece que está fazendo muito bem. Teve um pouco de trabalho com o veloz Peñaranda e acabou dando conta do recado. Mostrou vitalidade para aguentar a correria durante os 90 minutos e, com a bola no pé, tem um toque diferenciado.

Zagueiro: Marquinhos (Nota: 6)
Quem achava que Thiago Silva ia assumir rapidamente o seu lugar ao lado de Miranda está bem enganado. Marquinhos teve outra boa atuação e evitou um gol de Rondón no segundo tempo ao se jogar na frente da bola, que tinha endereço certo, mas acabou indo para escanteio depois de tocar no seu peito.

Zagueiro: Miranda (Nota: 6,5)
Rondón é a principal esperança de gols da Venezuela, mas contra o Brasil pouco fez. Graças a mais uma atuação segura de Miranda, o atacante ameaçou Alisson apenas em duas oportunidades. O zagueiro da Inter de Milão desponta como um dos maiores defensores do futebol mundial na atualidade.

Lateral-esquerdo: Filipe Luís (Nota: 5,5)
Foi o capitão da Seleção diante da Venezuela e vinha tendo uma atuação segura, até que quase "entregou" um gol aos 24 minutos. Após cruzamento de Rondón, o lateral deixou a bola passar e não viu Guerra, que dominou e, meio desequilibrado, bateu para fora na saída de Alisson.

Volante: Fernandinho (Nota: 6,5)
Muitos ficaram com um pé atrás com sua convocação depois do vexame na Copa do Mundo do Brasil, mas ele não se abalou e mostrou que mereceu o voto de confiança dado por Tite. Sua presença no time liberou Paulinho e Renato Augusto, que foram vistos constantemente dentro da área.

Volante: Paulinho (Nota: 6)
Arriscou muitas subidas ao ataque, mas acabou não aparecendo muito no jogo desta terça-feira. Teve uma atuação inferior a dos seus companheiros e ainda desperdiçou uma grande chance no segundo tempo, quando bateu em cima do goleiro após receber passe de Philippe Coutinho.

Motorzinho da Seleção Brasileira, Renato Augusto teve a maior nota desta terça-feira
Motorzinho da Seleção Brasileira, Renato Augusto teve a maior nota desta terça-feira
Meia: Renato Augusto (Nota: 8)

É o motorzinho do time comandado por Tite e um dos jogadores mais fundamentais no esquema tático. Ajuda na marcação e aparece lá na frente com sua técnica tradicional. Contra a Venezuela, deu a assistência para William marcar o segundo dos brasileiros e teve um gol anulado pela arbitragem.

Meia: Giuliano (Sem Nota)
Entrou aos 35 minutos no lugar de Philippe Coutinho e não teve muito tempo para mostrar seu futebol.

Atacante: Willian (Nota: 6,5)
Foi o escolhido para substituir Neymar e, apesar de não ter feito uma partida tão boa que nem as últimas do craque do Barcelona, criou boas jogadas ofensivas. Ainda deixou sua marca, fazendo o gol que deu uma maior tranquilidade aos brasileiros. Após cruzamento de Renato Augusto, o jogador finalizou no contra pé do goleiro.

Atacante: Taison (Sem Nota)
Entrou aos 44 minutos no lugar de Willian para o Brasil ganhar tempo e por isso, assim como Giuliano, fica sem nota.

Gabriel Jesus voltou a deixar sua marca e foi um dos destaques do Brasil
Gabriel Jesus voltou a deixar sua marca e foi um dos destaques do Brasil
Atacante: Gabriel Jesus (Nota: 7,5)

Foi o principal jogador do Brasil na partida desta terça-feira. Logo aos sete minutos, aproveitou falha do goleiro Dani Hernandez e com um lindo toque por cobertura abriu o placar. Incomodou bastante a defesa venezuelana e teve mais duas boas oportunidades. Acabou tirando um gol de Renato Augusto, pois a arbitragem assinalou impedimento ao tentar o desvio.

Atacante: Philippe Coutinho (Nota: 5,5)
Teve uma atuação apenas modesta em Mérida. Diferente do jogo contra a Bolívia, quando participou da maioria das jogadas ofensivas, nesta terça-feira esteve meio apagado. Finalizou algumas vezes na entrada da área, mas não colocou o pé na forma antes da bola rolar e desperdiçou boas chances. Deixou o campo aos 35 minutos da etapa final, sendo substituído por Giuliano.

Técnico: Tite (Nota: 8)
Talvez tenha sido uma das piores, ou "menos melhor", partida da Seleção Brasileira desde que Tite foi contratado para o lugar de Dunga. Contra a Venezuela, o Brasil mostrou novamente um padrão de jogo, algo que não havia antes do ex-técnico do Corinthians chegar, tanto que Alisson praticamente não foi ameaçado.

Seleção Venezuelana (Nota: 4,5)
Talvez pela vontade dos jogadores em atuarem contra a Seleção Brasileira, a Venezuela fez uma partida acima do esperado e merecia ter feito pelo menos um gol depois da pressão que esboçou no segundo tempo. No entanto, é uma equipe que atua mais raça do que na técnica, apesar de ter algumas peças de valor. Ainda não ganhou nas Eliminatórias e amarga a lanterna, com apenas dois pontos.