De mãos atadas em meio à pandemia, jogadores brasileiros tentam regresso

O técnico André Gaspar e o atacante Jonathan Cafu são alguns dos afetados na Arábia Saudita

Publicado em .

O técnico André Gaspar e o atacante Jonathan Cafu são alguns dos afetados na Arábia Saudita

Campinas, SP, 15 (AFI) - O futebol mundial foi paralisado após a pandemia do coronavírus. Assim, muitos jogadores e técnicos de futebol estão solicitando ajuda na embaixada da Arábia Saudita, a qual tenta manter contato com o Itamaraty, para solucionar a volta dos profissionais, sem solução no país há quase um mês.

Entre os brasileiro estão o atacante Jonathan Cafu, o meia Muralha e o técnico André Gaspar. Os três trabalham no Al-Hazm, da Arábia Saudita, e vinham disputando a Liga Profissional Prince Mohammed Bin Salman, atualmente na 22ª rodada.

Técnico André Gaspar no exterior
Técnico André Gaspar no exterior
A última partida da competição foi disputada no dia 13 de março, com no empate em 2 a 2 diante do Al-Faisal.

"Já estamos aqui há quase um mês e ainda não temos uma solução para voltar ao Brasil. O que posso dizer é que todos os contatos foram feitos com a embaixada, mas continuamos sem uma solução para que todos os brasileiros e estrangeiros possam voltar ao seu país", disse Cafu.

O técnico brasileiro André Gaspar falou com Futebol Interior sobre a situação dele e dos demais profissionais, os quais estão de mãos atadas, a não ser aguardar posição da embaixada, juntamente com Itamaraty.

"O clube liberou todos os profissionais para que possam voltar aos seus países de origem, mas não temos previsão de retorno às atividades normais e o reinício da competição. O que posso dizer é que nos passaram que o reinício da Liga será somente no mês de agosto, mas nossa preocupação, no momento, é conseguir voo ao Brasil", disse o treinador.

Outro brasileiro que também vive a mesma situação é técnico Fábio Carille, que comanda o Al-Ittihad.

O ex-comandante do Corinthians está na mesma situação dos demais compatriotas e chegou a falar com o Ministro dos Esportes no Brasil para acelerar o regresso de todos.

Jonathan Cafu defende o Al-Hazm
Jonathan Cafu defende o Al-Hazm
"Fomos liberados pelo clube para voltar ao Brasil ou podemos também permanecer aqui na Arábia. Essa foi uma opção do Al Hazm, mas todos os brasileiros têm como objetivo retornar ao nosso país. O Fábio Carille fez também contato no Ministério dos Esportes para acelerar esse retorno. Estamos aguardando e esperando que essa semana tenhamos uma solução", disse Gaspar.

A paralisação do campeonato na Arábia Saudita teve início no dia 14 de março. Um mês depois, os profissionais têm mantido rotina de treinos isolados e sem posição da Embaixada e do Itamaraty.

Além disso, ficou definido, por parte da Liga de Futebol Profissional Saudita, que todos os profissionais tiveram redução salarial em 50% entre os 16 clubes participantes.

No meio da pandemia do Covid-19, a Arábia Saudita já tem 5.862 casos confirmados e 79 mortes. No Brasil, por outro lado, são 25.758 casos e 1.557 vítimas.