Mozart comete equívocos na avaliação de jogadores

Time de Mozart costumam ser competitivos, mas são claros os equívocos dele em avaliações sobre jogadores que integram o seu elenco.

No Guarani, a escolha de Mozart Santos, para que seja eventual sucessor de Marcelo Chamusca, provocou tremenda discórdia nas redes sociais

Categorias: Colunas

Por: ARIOVALDO IZAC - -, 28/06/2022

mozart treinador csa 2022 01 e1656386420777
Mozart é o escolhido. (Foto: Morgana Oliveira/CSA)

Campinas, SP, 27 (AFI) – BLOG DO ARI – A barulheira no futebol doméstico desta segunda-feira em nada se associa a pré-jogos de Guarani e Ponte Preta, contra Ituano e Vila Nova, respectivamente.

No Guarani, a sondagem sobre o nome do treinador Mozart Santos, para que seja eventual sucessor de Marcelo Chamusca, provocou tremenda discórdia.

Enquete feita pelo radialista Carlos Batista, em seu programa de televisão na TV Band-Campinas, mostrou alto índice de rejeição ao nome de Mozart Santos.

Assim, de prático no clube apenas negociações com o gerente de futebol Rodrigo Pestana, para retorno, visando ocupar o lugar do demitido Michel Alves, e assim proceder reformulação no elenco.

TRABALHO DE MOZART

Pertinente a observação do parceiro Profeta da Tribo quando cobra da mídia local radiografia sobre o trabalho de Mozart Santos.

A pluralidade deste espaço já implicou na bem observada avaliação do também parceiro Léo (PR) sobre o equivocado posicionamento do meia Gabriel, quando Mozart estava no CSA: fazia papel de segundo volante, quando um jogador com a visão de jogo dele tem mesmo é que se posicionar mais próximo da área adversária.

De fato time comandado por Mozart é competitivo, compactado, laterais apoiam com frequência, mas são claros os equívocos dele em avaliações sobre jogadores que integram o seu elenco.

LOURENÇO E SASSÁ

De volta ao CSA desde agosto do ano passado, Mozart teve tempo de sobra para avaliar que o time alagoano nada teria a ganhar quando em abril passado aceitou renovação de contrato do meia Didira, 33 anos de idade.

Pior ainda foi admitir contratações de jogadores como o meia Lourenço e centroavante Sassá.

Mesmo no Avaí, ano passado, Lourenço não passava de jogador voluntarioso, e mesmo assim aportou em Maceió.

Pior ainda foi apostar no centroavante Sassá, jogador desengonçado, e já havia mostrado no Cruzeiro que pouco acrescenta.

Essas convicções equivocadas ajudaram a derrubar Mozart do CSA, após derrota contra o Tombense e campanha irregular nesta Série B do Campeonato Brasileiro.

Pode, na prática, dar certo na hipótese de vir para o Guarani?

Neste futebol de ponta cabeça, como se observa, tudo é possível. Todavia os fatos, por si só, não recomendam a contratação, principalmente considerando o alto índice de rejeição.


DESLIGAMENTOS

Tal como aqui, nas bandas de Portugal tem gente que apenas consegue enxergar futebol um palmo à frente do nariz.

Disso o Guarani deve agradecer, ao se desfazer do atacante de beirada Ronald, que vai jogar na Europa.

Na Ponte Preta, o desligamento do zagueiro Fabrício foi um achado, havendo ou não comum acordo como foi anunciado pelo clube.

Parafraseando antiga propaganda da empresa Freio Vargas: ‘Precisava de tudo Isso?’

Precisava comprometer a equipe seguidamente e teimosos treinadores como Gilson Kleina e Hélio dos Anjos insistirem em escalá-lo?

Confira também: