Carioca: Abatido, Abel Braga reconhece: 'O Vasco precisa melhorar muito'

Criticado pela torcida, assim como o presidente Alexandre Campello, o técnico espera mais apoio nos dois próximos jogos

por Agência Estado

Volta Redonda, RJ, 8 (AFI) - Visivelmente abatido, o técnico Abel Braga foi o único a falar, de novo, nos vestiários vascaínos após o empate sem gols com o Volta Redonda, pela segunda rodada da Taça Rio, no estádio Raulino de Oliveira. Ele reconheceu que o time precisa melhorar em vários aspectos, principalmente a parte ofensiva.

"Está faltando o gol. Não fomos bem no primeiro tempo, mas depois melhorarmos com a entrada do Juninho. Eu estou triste como todos, mas vamos continuar trabalhando" prometeu o técnico.

DESGASTE FÍSICO
Para ele, o desgaste físico voltou a atrapalhar os planos para o Vasco obter uma vitória.

"Os jogadores sentiram o calor. Jogamos na quinta-feira (1 a 0 no ABC pela Copa do Brasil) e agora jogamos domingo. Enquanto isso, o Volta Redonda teve a semana para se preparar. Não é desculpa, mas são fatos", completou.

MAIS APOIO
Criticado pela torcida, assim como o presidente Alexandre Campello, o técnico espera mais apoio nos dois próximos jogos: Goiás, quinta-feira, em São Januário, pela terceira fase da Copa do Brasil, e diante do Fluminense, domingo. O jogo seria disputado sábado, mas acabou sendo transferido para domingo às 18 horas no Maracanã.

Até as crianças não acreditam no Vasco
Até as crianças não acreditam no Vasco

"Vai ser importante a presença da torcida, como sempre é. É um estímulo a mais para os jogadores", afirmou. Reconhecendo a fraca atuação, ele comentou que o time "vai precisar jogar mais contra o Goiás", além de indicar ver com otimismo a possibilidade de retorno de Guarín no próximo compromisso.

CARTOLA VAI FALAR ?
Por fim, ele confirmou que Campello vai ter uma conversa com os jogadores na terça-feira sobre a situação dos salários.

Os jogadores continuam sem dar entrevistas como protesto pela falta de pagamentos. Eles não recebem desde dezembro, incluindo o 13.º. Os direitos de imagens estão atrasados há cinco meses.