São Caetano vive pior momento da história, mas presidente promete encerrar a Série D

Clube não paga salários dos funcionários há seis meses e vem de derrota por W.O. na quarta divisão nacional

por Agência Futebol Interior

São Caetano do Sul, SP, 20 (AFI) - O São Caetano vive uma das piores crises de sua história. Vice da Libertadores em 2002 e campeão Paulista em 2004, além de vice do Brasileiro em duas oportunidades (2000 e 2001), o clube do ABC paulista não paga salários aos seus funcionários há seis meses.

Próximo de completar 31 anos de fundação, o São Caetano foi campeão do Campeonato Paulista da Série A2 neste ano. No entanto, a crise fez com que o elenco decretasse greve, sendo derrotado por W.O. na última partida da Série D do Campeonato Brasileiro.

De acordo com o presidente do clube, Nairo Ferreira, o momento do São Caetano tem relação com a administração anterior do clube. Recentemente, o bilionário Saul Klein, herdeiro da rede de lojas Casas Bahia, rompeu a parceria com o clube.

"Foi uma administração totalmente calamitosa que esteve aqui e deixou o São Caetano numa situação dessa. Estou afastado há dez meses e somos obrigados a resolver problemas da administração anterior", afirma Nairo, presidente do clube há 25 anos.

Saul Klein é dono da WS Sports, empresa que detém ações na Ferroviária. Diversos atletas deixaram o São Caetano e partiram rumo à equipe de Araraquara, além de tantos outros que acertaram com outros clubes.

VAI TERMINAR

Na Série D, o São Caetano ocupa a lanterna do Grupo A8. São seis pontos somados em 12 rodadas, com oito derrotas, três empates e apenas uma vitória. Na nona rodada, após ameaça de W.O. e a escalação de jogadores das categorias da base, o Azulão acabou goleado por 9 a 0 pelo Pelotas-RS. Na rodada passada, a equipe sofreu o W.O. contra o Marcílio Dias após greve do elenco.

"Conversamos com os atletas, entenderam a situação do clube, se prontificaram em fazer as partidas finais da Série D e nós nos comprometemos a ajudá-los. Todo mundo tem que se ajudar. É um grupo que está com dificuldades muito grandes, mas estão sendo fiéis para jogar. Estão sendo corajosos com essa situação em que se encontra o clube, mas ficamos felizes em saber que tem um grupo que se uniu para acabar o campeonato", disse Nairo Ferreira.

"Depois é pensar o que faremos. Alguns terminam contrato, outros ficam, a gente vai ver o que é bom para todo mundo. Fizemos uma reunião, explicamos a filosofia do clube. Os que estão aqui há mais tempo conhecem a forma de trabalho e os mais novo estavam com problemas sérios e com razão, porque os salários estão todos atrasado, uns têm problemas financeiros, outros de moradia. Estamos trabalhando, a dificuldade está enorme, sabemos dos problemas que vamos encarar pela frente, mas vamos fazer o possível para deixar o São Caetano no lugar que ele merece", finalizou o presidente.