Série B: Santa Cruz condena invasão e tenta reconhecer torcedores

A diretoria tricolor emitiu uma nota oficial comentando o acontecimento da última quinta-feira

por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 12 (AFI) - Na tarde da última quinta-feira, cerca de 50 pessoas - a maioria delas vestindo camisetas da Torcida Organizada Inferno Coral - invadiram o Arruda para protestarem contra o atual momento do Santa Cruz. Em nota oficial, a diretoria tricolor condenou os "atos de violência" e disse estar em busca dos responsáveis pela confusão.

Os torcedores invadiram o gramado com barras de ferro e tentaram invadir os vestiários onde estavam os jogadores, o departamento de futebol e a sala de imprensa. Na tentativa de controlar a situação, alguns seguranças do clube foram agredidos e os ânimos só se acalmaram com a chegada da Polícia Militar.

Torcedores do Santa Cruz invadiram o Arruda na última quinta-feira e ameaçaram jogadores, dirigentes, funcionários e jornalistas
Torcedores do Santa Cruz invadiram o Arruda na última quinta-feira e ameaçaram jogadores, dirigentes, funcionários e jornalistas
Na nota oficial, o clube revelou ter registrado um Boletim de Ocorrência e "está colecionando vídeos e imagens dos acontecimentos para acionar, nas esferas cível e penal os autores das covardes agressões aos nossos funcionários".

Os protestos dos torcedores se devem ao momento ruim que o Santa Cruz vem passando dentro de fora de campo. Acumulando quatro derrotas seguidas, o Tricolor tem 23 pontos e está na luta contra o rebaixamento. Além disso, o clube vive um momento delicado financeiramente e os jogadores não recebiam há dois meses - um mês foi pago na última sexta-feira.

CONFIRA ABAIXO A NOTA NA ÍNTEGRA

O Santa Cruz repudia qualquer relação entre os atos de violência cometidos por integrantes de uma torcida organizada, nas dependências do Arruda, ontem à tarde, com algumas medidas tomadas pela diretoria, ao longo do dia, visando melhorias no time e mais transparência na gestão.

Desde o jogo contra o Paraná, dia 29 de julho, foi estabelecido, com a Comissão Técnica, o monitoramento de diversos atletas que não estavam, dentro ou fora de campo, tendo algum desempenho incompatível com a tradição guerreira, de superação e vitórias do Santa Cruz.

A dispensa de atletas, portanto, só poderia ser feita após o pagamento de um mês de salário, fato que ocorreu ontem.

Foram demitidos, no início da tarde, após reunião com o técnico Givanildo, os atletas Jaime e Alex Travassos. Não há, portanto, nenhuma relação com as cenas lamentáveis de violência que aconteceria horas mais tarde.

Uma reunião do Conselho Deliberativo, também realizada ontem, foi agendada inicialmente para a semana passada, mas cancelada, porque o auditório do Conselho estava em reforma. Foi um pedido do presidente Alírio Moraes, para mostrar os dados financeiros da marca Cobra Coral (uma nova unidade de negócios), além de detalhar questões importantes para o clube, como cotas de TV, situação financeira do clube, atrasos de salário e bloqueios judiciais.

A violência dos torcedores aconteceu pouco antes da reunião do Conselho. Novamente, não há nenhuma situação de caso e efeito.

É oportuno esclarecer, que, a pedido do clube, foi realizado Boletim de Ocorrência dos incidentes. O Santa Cruz está colecionando vídeos e imagens dos acontecimentos para acionar, nas esferas cível e penal os autores das covardes agressões aos nossos funcionários.