Seletiva Olímpica da natação brasileira é adiada para fim de junho

A mudança se deve à pandemia de coronavírus, que vem causando a suspensão e o adiamento de diversos eventos esportivos

por Agência Estado

Campinas, SP, 17 - A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) anunciou nesta terça-feira que adiou a data da Seletiva Olímpica da natação brasileira para os Jogos de Tóquio, em julho. A competição, marcada inicialmente para o fim de abril, será realizada entre 22 e 27 de junho, no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro.

"Diante da decisão do Comitê Olímpico Internacional em manter as datas previstas para a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio e ciente das dificuldades e situações enfrentadas pelos atletas com seus respectivos locais de preparação, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos decidiu, em comum acordo com o Comitê Olímpico do Brasil, em adiar a Seletiva Olímpica Brasileira de Natação", anunciou a CBDA, em comunicado.

TORCIDA DA ALEMANHA PROTESTA CONTRA PARALISAÇÃO

MUDANÇA
A mudança se deve à pandemia de coronavírus, que vem causando a suspensão e o adiamento de diversos eventos esportivos pelo mundo. Somente nesta terça, a Eurocopa e a Copa América, ambas marcadas para junho, foram reagendadas para 2021.

Quase ao mesmo tempo, o Comitê Olímpico Internacional (COI) reafirmou a disposição de realizar a Olimpíada de Tóquio, em julho.

Seletiva Olímpica da natação brasileira é adiada para fim de junho
Seletiva Olímpica da natação brasileira é adiada para fim de junho

"A CBDA está inteiramente comprometida em zelar pela saúde de atletas, treinadores e toda comunidade aquática, não os colocando em risco de exposição ao novo coronavírus", disse a entidade.

"A CBDA se solidariza a todos os afetados por esta crise sem precedentes e está atenta a todas as orientações dos órgãos reguladores sobre os avanços da Covid-19."

SELETIVA ÚNICA
A seletiva olímpica da natação brasileira será única pela primeira vez.

Nas outras edições dos Jogos, os nadadores do País tiveram mais de uma chance de obter o índice olímpico. No Rio-2016, foram quatro chances. Antes, para a Olimpíada de Londres-2012, foram sete oportunidades. Desta vez, os atletas brasileiros terão que concentrar esforços para uma única chance.

OBJETIVO
A meta da CBDA é levar entre 20 e 25 nadadores brasileiros para a capital japonesa. O recorde é 33 no Rio, contando com as vantagens de ser anfitrião. Com exceção desta edição dos Jogos, a maior quantidade de nadadores do País numa Olimpíada aconteceu em Pequim-2008, com 27.

Nas disputas coletivas da modalidade, o Brasil já tem garantidas as vagas nos revezamentos 4x100 metros livre masculino, 4x200m livre masculino e 4x100m medley masculino. A classificação para estas provas foi obtida no Mundial de Gwangju, disputado na Coreia do Sul, em julho do ano passado.