"Vamos ter que nos reinventar", diz presidente de clube da Série C sobre calendário

A competição nacional vai se estender até 2021 e os clubes foram pegos de surpresa com essa definição

por Agência Futebol Interior

Manaus, AM, 10 (AFI) - A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou que o Campeonato Brasileiro da Série C vai começar no dia 9 de agosto e se estenderá até o dia 31 de janeiro de 2021. O presidente do Manaus FC, Luis Mitoso comentou a extensão do calendário da competição, que vai aumentar os gastos do clube na competição: “Vamos ter que nos reinventar”, afirma o dirigente.

“O calendário foi além do que nós imaginávamos. Não só o Manaus FC, mas todos os outros 19 clubes da Série C pensam assim. Nós temos um grupo de mensagens, de presidentes dos clubes que compõem a Série C do Brasileiro, e nos causou muita surpresa o calendário ter ido até janeiro de 2021”, comenta Mitoso.

Para o dirigente, o grande “gargalo” diz respeito aos recursos que não estavam previstos para uma competição que durasse até janeiro de 2021.

“Essa mudança importa em mais recursos, mais gastos para atender a esse campeonato. Nós imaginávamos que o Campeonato Brasileiro da Série C pudesse ser encurtado. Encurtado no sentido da programação dos jogos, que pudessem ser no meio de semana e no fim de semana como é nas séries A e B. A gente entendia que o formato ia ser igual, com jogos no meio de semana e final de semana. Para ter um calendário mais enxuto no qual pudéssemos honrar com todos os compromissos. Agora com a divulgação desse calendário, que vai até janeiro de 2021, coloca aí tranquilamente três meses de despesas que não estavam orçadas”, explica o mandatário.

Conforme o presidente do Gavião do Norte, o anúncio feito pela CBF vai obrigar o clube a se “reinventar”.

“Temos que nos reinventar. Recebemos a premiação da CBF pelo vice da Série D, um Fiat Mobi que custa R$ 40 mil e nós lançamos uma programação para converter esse prêmio em recursos para o Manaus, em que a torcida poderá ajudar o clube comprando uma rifa para fazer caixa, para prover futuras despesas que com certeza vão avançar e muito no planejamento financeiro do Manaus FC”, finaliza Mitoso.