Com renúncia de presidente, Conselho explica busca por novo gestor no Criciúma

O Tigre garantiu que o próximo investidor iniciará o trabalho do zero

por Agência Futebol Interior

Criciúma, SC, 15 (AFI) - O Criciúma realizou uma entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira, encabeçada pelo presidente do Conselho Deliberativo do Criciúma Esporte Clube, Carlos Henrique Alamini, para explicar a carta de renúncia emitida pelo presidente do clube e da GA (Gestão do Patrimônio Ltda), Jaime Dal Farra.

Alamini abriu a coletiva de imprensa afirmando que recebeu o pedido do presidente Dal Farra no último dia 13 de maio, data do aniversário do clube. O mandatário do Conselho afirmou que o período foi apenas uma coincidência, pois era o dia limite de solicitar tal rescisão. Jaime deixará o clube de maneira oficial apenas ao final da Série C do Campeonato Brasileiro.

Com a carta já protocolada, o Criciúma inicia busca por uma nova gestora, já que a GA era quem dirigia o clube nos últimos anos. Alamini mostrou confiança em encontrar um novo parceiro, que iniciará o trabalho do zero, até mesmo com um novo modelo de gestão.

NOVOS INVESTIDORES
"Precisamos de muito equilíbrio nessa transição. Vamos em busca de novos investidores. Outras modalidades de gestões. A diretoria vai receber todas essas informações e discutiremos isso junto ao Conselho, que é a voz ativa nessas decisões. Chegaram várias especulações, mas não há nada oficial. Tudo não passa de fofoca. Conselho tem que estar ativo junto conosco. O tempo urge. Precisamos entrar 2021 com outro investidor, outra gestão, algo que seja positivo para o Criciúma", disse o presidente do Conselho.

Alamini falou sobre saída de Dal Farra. Foto: Marco Búrigo
Alamini falou sobre saída de Dal Farra. Foto: Marco Búrigo
"Nós vamos até o final do Campeonato da Série C, supostamente em funcionamento. Ao final, o Jaime, como presidente da GA, se retira, mas ele continua como presidente do Criciúma. Podemos amanhã encontrar um investidor. Vai acompanhar o clube em todo ano. Se não acontecer nada, Jaime pede sua saída, automaticamente o vice administrativo assumiria. Como não tem, o vice financeiro assume como presidente", explicou.

CASA EM ORDEM!
"Ele ainda explicou que Dal Farra terá que deixar a casa em ordem antes de sair. "O contrato com a GA é bem claro. O presidente tem que nos entregar o Criciúma zerado. O patrimônio precisa estar em dia. O Criciúma é isento da parte legal. O próximo investidor vai vir com o clube zerado. Não vai ter funcionário, jogador, ninguém. Vai começar do zero. Conselheiros terá um trabalho grande para buscar o investidor. Os jogadores que estão hoje, estão no Criciúma. Para serem filiados, tem que estar registrado no clube. Não é a GA que está na CBF, é o Criciúma. O novo investidor vai negociar para ficar com alguns jogadores, se tiver interesse. Se não, o Jaime vai pegar os jogadores e colocar em outro clube", completou.

Por fim, explicou que o clube continuará de pé mesmo em caso negativo na busca por um investidor: "Se não vier um investidor, vamos ter que trabalhar em casa e fazer o melhor para o Criciúma, pois não podemos nos isentar nem no estadual, nem no nacional. Temos que achar uma maneira de se trabalhar com o que tem. Não vamos deixar o Criciúma a ver navios. Vamos conseguir um investidor para fazer o Criciúma cada vez maior", disse, antes de analisar o trabalho do Dal Farra.

"Já fui taxado de puxa saco do Jaime, porque estava sempre apoiando. Nós trabalhamos em prol da harmonia. Ele tentou de todas as formas. Trouxe comissão da melhor possível, jogadores. Investiu muito dinheiro e teve outro momento que optou por segurar. Ele tentou, mas não conseguiu", concluiu.

Veja a carta de renúncia do presidente:

Prezados Senhores,

Fazemos referência ao Contrato de Prestação de Serviços de Administração de Departamento de Futebol, Cessão de Direitos e Outras Avenças celebrado em 19 de março de 2012 entre o Criciúma Esporte Clube (“Clube”) e a GA – Gestão do Patrimônio Ltda. (“GA”), aditado em 19 de dezembro de 2015 (“Contrato”), por meio do qual a GA foi contratada para, dentre outras atividades, administrar o Departamento de Futebol do Clube, sanear dívidas, e, gerir com exclusividade, os Direitos Econômicos dos atletas, dentre outros direitos e obrigações definidos no Contrato.

Conforme é do conhecimento desse Conselho, a GA vem cumprindo tempestivamente com todas as suas obrigações perante o Clube de acordo com os termos e condições estabelecidas no Contrato, prestando os serviços de manutenção do patrimônio, administrativo, técnicos e financeiros previstos, em especial, mediante o aporte de vultosos recursos financeiros ao clube, conforme contabilizados no balanço patrimonial.

Embora todo o esforço feito pelo notificante, com contratação de jogadores e comissão técnica de renome nacional, é consabido que o Clube não alcançou os resultados esperados no Campeonato Brasileiro da Série B da temporada passada, não sendo diferente na atual temporada. Tal fato tem gerado manifesta insatisfação por parte da torcida com o comando do Clube, que vem clamando pela saída do Notificante, de forma absolutamente alheia à vontade deste, inclusive com referências buscando denegrir sua imagem e ameaças a sua integridade e de sua família.

Em razão de tais fatos, entendendo ser o melhor para o Clube, servimo-nos do presente para NOTIFICAR Vossas Senhorias do início dos procedimentos que irão culminar na rescisão do Contrato, de forma unilateral pela GA, sem a incidência de qualquer multa, indenização ou ônus para a GA, na forma da Cláusula 10.3 do Contrato, que estabelece.

Neste sentido, a presente notificação se dá faltando mais de 180 dias para o término da temporada, em perfeita consonância com o Contrato.

Por fim, ressalta que, independentemente da presente notificação e outros direitos atribuídos conforme determinação do contrato, o Notificante permanecerá a frente do clube, com os poderes da gestão, e cumprirá com todas a suas cláusulas e condições até o final da temporada de 2020.

Sendo o que tínhamos para o momento, permanecemos à disposição.