Atlético-PR 5 x 0 Bahia - Chocolate do Furacão na véspera de Páscoa

Nas quartas-de-final o Atlético-PR terá pela frente o vencedor de Vasco e Náutico

por Agência Futebol Interior

Foto: Geraldo Bubniak

Curitiba, PR, 20 (AFI) - Numa noite inspirada, onde fez talvez a melhor exibição da temporada, o Atlético Paranaense massacrou o Bahia e goleou por 5 a 0, nesta quarta-feira, na Arena da Baixada, pelo jogo de volta das oitavas-de-final da Copa do Brasil. No jogo de ida houve empate por 1 a 1, por isso a goleada deu a vaga para o Furacão com folgas. Paulo Baier (dois), Manoel, Rafael Santos e Adaílton fizeram os gols do vareio rubro-negro.

Nas quartas-de-final o Atlético-PR terá pela frente o vencedor do confronto entre Vasco e Náutico. No jogo de ida o time carioca goleou por 3 a 0, em Recife, e colocou as mãos da vaga. O jogo de volta acontece na próxima quarta-feira, às 21h50, no estádio São Januário, no Rio de Janeiro.

Furacão passeia em campo e dá show
Empurrado pela torcida que compareceu em grande número, o Atlético começou o jogo pressionando o Bahia, e quase marcou logo aos dois minutos. Paulo Baier recebeu de Adaílton e bateu para o gol, obrigando o goleiro Omar a espalmar. O Tricolor tentava suportar a pressão do Furacão e surpreender nos contra-ataques. O time paranaense tinha domínio total do jogo, mas errava no último passe antes da finalização.

Aos poucos o Bahia foi se soltando. O time baiano tocava a bola sem pressa, em busca de um espaço na zaga atleticana. Mas se o empate sem gols já era bom para o Furacão, ficou ainda melhor aos 22 minutos. Paulo Baier cobrou falta da direita, a bola desviou em Titi, enganou o goleiro Omar, e morreu no fundas redes baianas.

O Bahia sentiu o baque do gol e se desestabilizou em campo. O Atlético aproveitou e fez mais um logo depois. Aos 25 minutos Paulo Baier cobrou falta pela esquerda, Manoel subiu mais alto que a zaga e mandou para as redes. Estava muito fácil para o time paranaense, que fez o terceiro aos 34 minutos. Branquinho cobrou falta pela esquerda, a zaga tricolor não subiu e Rafael Santos marcou de cabeça.

O Atlético não tirou o pé e seguiu pressionando o Bahia, que estava completamente perdido em campo. Assim, o Furacão fez o quarto gol ainda no primeiro tempo. Adaílton foi derrubado pelo goleiro Omar e o árbitro Márcio Chagas da Silva marcou pênalti. Paulo Baier foi para a cobrança e não desperdiçou, ampliando a vantagem do Furacão, que fazia uma exibição de galã nas vésperas do clássico Atle-Tiba.

Fez o quinto e passou a régua
O panorama do jogo não mudou no segundo tempo, e Atlético continuava jogando no erro do Bahia. Como o Tricolor errava muito, o Furacão fez o quinto logo aos cinco minutos. Adaílton entrou livre na grande área e bateu cruzado na saída do goleiro Omar, fazendo mais um para os donos da casa.

O Atlético entrava como queria na defesa do Bahia, e poderia aplicar uma goleada histórica. Aos 11 minutos quase saiu o sexto em chute de Guerrón que bateu na rede pelo lado de fora. Depois do quinto gol e com a vaga mais do que assegurada, o time paranaense tirou o pé, só esperando o tempo passar.

O jogo ficou concentrado no meio-campo e o Bahia tentava ao menos o gol de honra. Aos 33 minutos Rafael fez boa tabela e bateu da entrada da área, para boa defesa de Renan Rocha, que fez sua primeira defesa na partida. Na sequência, o camisa 1 do Furacão foi obrigado a trabalhar mais uma vez em cabeçada de Thiego. Depois o jogo caiu e terminou mesmo 5 a 0.

Ficha técnica

Atlético-PR 5 x 0 Bahia

Local: Arena da Baixada, em Curitiba
Público: 14.037 pagantes (15.044 total)
Renda: R$ 198.260,00
Árbitro: Árbitro: Márcio Chagas da Silva-RS
Auxiliares: Tatiana Jacques de Freitas-RS e Carlos Berkenbrock-SC
Cartões amarelos: Camacho, Thiego, Souza, Lulinha (Bahia); Adaílton, Manoel, Rômulo (Atlético)
Gols: Paulo Baier, aos 22'/1T e 40'/1T, Manoel, aos 25'/1T, Rafael Santos, aos 34'/1T, Adaílton, aos 5'/2T (Atlético)

Atlético-PR
Renan Rocha; Rômulo (Wendel), Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Deivid, Robston, Branquinho (Mádson) e Paulo Baier; Guerrón (Lucas) e Adailton.
Técnico: Adilson Batista.

Bahia
Omar; Marcos (Jancarlos), William Thiego, Titi e Dodô; Marcone, Helder, Camacho e Maurício; Robert (Lulinha) e Souza (Rafael).
Técnico: René Simões.

 
 
" />