Precisando salvar o Ceará do rebaixamento, Lisca aposta em 'velha fórmula'

Com quase 20 mil lugares, o local é perfeito para trazer a torcida jogando junto com os jogadores

por Agência Futebol Interior

Fortaleza, CE, 11 (AFI) – Lisca vai tentar usar um velho truque para salvar o Ceará do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Contratado há pouco mais de um mês, o treinador chegou com a famosa ‘terapia de choque’, para tentar reverter o quadro antes da parada para a Copa do Mundo. Não deu. Agora, ele quer voltar ao estádio Presidente Vargas, onde conseguiu salvar o clube em 2015 do rebaixamento na Série B.

O Ceará já solicitou à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e o jogo com o Vitória no próximo dia 18, às 19h30, não será mais no Castelão. A ideia de levar a partida para o Presidente Vargas é transformar o estádio em um alçapão. Com quase 20 mil lugares, o local é perfeito para trazer a torcida jogando junto com os jogadores.

Lisca aposta no Presidente Vargas para salvar o Ceará do rebaixamento
Lisca aposta no Presidente Vargas para salvar o Ceará do rebaixamento
Enquanto mandou jogo no Castelão, o Ceará imprimiu uma média de 27 mil ingressos por jogo, que, se continuar neste segundo semestre, é mais do que o suficiente para lotar o Presidente Vargas em todos os jogos. O jogo com maior público aconteceu ainda na 2ª rodada, na derrota por 3 a 0 para o Palmeiras, quando 52.952 pessoas estiveram nas arquibancadas.

Mesmo nos jogos de menor torcida, contra América, Grêmio e Cruzeiro, em que a média dos torcedores bate quase 15 mil, já seria o suficiente para armar uma pressão dentro do PV. A ideia de Lisca é trazer novamente o torcedor lado a lado com o clube, já que ele precisa ainda buscar a primeira vitória no Campeonato Brasileiro. Com apenas cinco pontos, o Ceará é o lanterna da competição.

 
 
" />