Joinville 1 x 0 Ypiranga - Placar poderia ser mais elástico!

Melhor em campo, com o 1 a 0 de vantagem e com um jogador a mais, técnico do JEC preferiu retrancar o time e segurar a vitória

por Agência Futebol Interior

Joinville, SC, 15 (AFI) – Não foi uma atuação de encher os olhos, mas o Joinville fez o suficiente para estrear com vitória no Campeonato Brasileiro da Série C. Mesmo com um a mais em todo o segundo tempo, o JEC venceu o Ypiranga pelo placar mínimo de 1 a 0, na tarde deste domingo, na Arena Joinville, em Joinville.

O resultado poderia ter sido mais elástico se o técnico Matheus Costa não fosse tão conservador. Depois de um primeiro tempo truncado, o Tricolor cresceu na segunda etapa, quando estava com um a mais – o zagueiro Saimon foi expulso no final do período inicial.

Melhor em campo, com o 1 a 0 de vantagem e com um jogador a mais, o treinador preferiu retrancar o time e segurar a vitória, após o gol marcado pelo atacante Marlyson. Com a entrada do volante Michel Schmöller na vaga do atacante Rafael Grampola, o time da casa se abdicou de jogar e perdeu a chance de construir um bom saldo na estreia.

NADA DE GOLS
O Ypiranga começou a partida surpreendentemente pressionando o Joinville. Tanto que logo aos sete minutos já exigiu uma boa defesa do goleiro Emerson. Somente a partir dos dez minutos os catarinenses conseguiram equilibrar as ações e diminui a pressão.

Aos poucos, os catarinenses assumiram as rédeas da partidas. Apesar de controlar a posse de bola, o time da casa encontrou dificuldades para finalizar. Em uma das raras chegadas, aos 25, o goleiro Rodrigo se antecipou e interceptou passe em direção ao atacante Rafael Grampola.

O jogo só ganhou emoção nos minutos finais. Primeiro, aos 38 minutos, os jogadores tricolores ficaram pedindo pênalti em toque de mão do zagueiro Claudinho. Na sequência, aos 39, o meia Breno quase marcou para os mandantes, mas chutou na rede por fora.

No final, aos 46, o zagueiro Saimon ainda foi expulso por falta dura em Rafael Grampola e deixou os visitantes com um a menos. O cartão vermelho causou muita reclamação dos jogadores do clube gaúcho.

PAROU, POR QUÊ?
Apesar de jogar com um a menos, o Ypiranga começou a partida assustando o JEC. Logo aos quatro minutos, o time teve a chance de inaugurar o marcador. O meia Rafinha tocou para o meia Dudu. Ele bateu, a bola desviou na zaga e saiu com perigo.

Marlyson comemorou gol contra Ypiranga: Atacante saiu do banco para salvar Joinville - Foto: Beto Lima/JEC
Marlyson comemorou gol contra Ypiranga: Atacante saiu do banco para salvar Joinville

Depois disso, porém, o Tricolor emplacou uma sequência de boas chances. Primeiro, aos sete minutos, Rafael Grampola bateu e a bola tirou tinta da trave. Aos 14, o lateral Alex Ruan chutou e Rodrigo salvou mandando para escanteio. Por fim, aos 19, o volante Pierre soltou uma bomba para fora.

Após tanto pressionar, os catarinenses finalmente chegaram ao gol aos 21 minutos. O atacante Marlyson recebeu um lançamento longo e, após jogada individual, mandou para o fundo das redes. O goleiro nada pôde fazer.

Mesmo com cenário totalmente a favor – JEC melhor e com um jogador a mais -, o técnico Matheus Costa optou por retrancar o time. Sacou Grampola e colocou o volante Michel Schmöller. Desta forma, o jogo se arrastou sem mais emoções.

PRÓXIMOS JOGOS
No próximo sábado, às 15h30, o Joinville volta a campo para enfrentar o Tombense, no estádio Antônio Guimarães de Almeida, em Tombos. Enquanto isso, o Ypiranga recebe o Operário, no domingo, às 15 horas, no estádio Colosso da Lagoa, em Erechim.

Ficha Técnica

Fase
Primeira Fase
Rodada
1ª rodada
Data
15/04/2018
Horário
16h00
Local
Arena Joinville - Joinville (SC)
Árbitro
Rodrigo Batista Raposo - DF

Renda
R$ 64.560,00
Assistentes
Lehi Sousa Silva - DF e Leila Naiara Moreira da Cruz - DF

Público
2.874 torcedores
Cartões Amarelos
Joinville-SC: Alisson, Jean Lucas
Ypiranga-RS: Claudinho, Rennan, Marlyson

Cartões Vermelhos
Ypiranga-RS: Saimon
Gols
Joinville-SC: Marlyson 21' 2T
Joinville-SC
Emerson;
Alisson (Marlyson), Bruno Aguiar, Emerson Silva e Alex Ruan;
Pierre, Eduardo Person, Breno (Kadu), Jean Lucas e Madson;
Rafael Grampola (Michel Schmöller).
Técnico: Matheus Costa
Ypiranga-RS
Rodrigo;
Gian, Saimon, Claudinho e Rennan;
Tarik (Joãozinho), Faísca, Rafinha, Dudu (Skilo) e Jajá (Diego Rocha);
Jean Silva.
Técnico: Márcio Nunes
 
 
" />