Presidente que contratou goleiro Bruno é destituído do Poços de Caldas

O goleiro disputou apenas 45 minutos e deixou o clube por falta de pagamento, assim como todo elenco e o técnico Paulinho Ceará

por Agência Futebol Interior

Poços de Caldas, MG, 13 (AFI) – O ano de 2020 nem começou e o Poços de Caldas já se envolveu em uma série de polêmicas relativas ao elenco que vem sendo preparado para disputar a temporada que se inicia em janeiro.

Depois de anunciar o goleiro Bruno, que acabou disputando apenas 45 minutos de um amistoso contra o Juraia, o presidente do Poços de Caldas, Paulo César da Silva, vinha sendo acusado de não arcar com pagamentos no clube. Esse foi o mesmo motivo que fez o ex-goleiro do Flamengo deixar o Poços de Caldas.

Nesta quarta-feira, Paulo César da Silva foi destituído do cargo pelos associados do clube. Na ocasião, os novos gestores do Poços de Caldas já foram definidos, mas só serão divulgados oficialmente após registro em cartório.

DEBANDADA TOTAL
Não foi apenas o goleiro Bruno que deixou o clube. Sem receber, todos os jogadores anunciados nas últimas semanas, assim como o técnico Paulinho Ceará, já têm mais vínculos com o Poços de Caldas.

A diretoria vai estudar a possibilidade de disputar a próxima temporada e existe, até mesmo, a possibilidade de se abster de participar de qualquer torneio em 2020.

Caso consiga montar um elenco, o Poços de Caldas visa a disputa da Segunda Divisão do Campeonato Mineiro. O projeto inicial era trazer Bruno como o grande nome do elenco para essa competição.