Multicampeões, Santos e São Paulo faziam primeiro clássico há 90 anos

Juntos, rivais são grandes vencedores de títulos e se cruzam ao longo da história

por Federação Paulista (FPF)

São Paulo, SP, 11 - Um dos grandes clássicos da história do futebol brasileiro, Santos e São Paulo se enfrentavam pela primeira vez há exatos 90 anos. Desde então, os rivais construíram história grandiosa com o clássico Sansão, como ficou conhecido o confronto mais tarde, sendo pano de fundo de muitas conquistas de ambos. No geral, o time do Morumbi leva vantagem sobre os santistas.

Fundado meses antes por ex-sócios, jogadores e dirigentes do Paulistano -maior campeão estadual à época e que desativara seu departamento de futebol por não concordar com o profissionalismo- e da Associação Atlética das Palmeiras, três vezes campeão do Campeonato Paulista, o São Paulo já nasceu grande. O Santos, por sua vez, tinha seu primeiro time de expressão em sua história, vice paulista em 1927, 1928, 1929 e 1931. Conquistaria seu primeiro título anos mais tarde, em 1935.

No dia 11 de maio de 1930, pela nona rodada do Campeonato Paulista, os futuros rivais se enfrentaram na Vila Belmiro e fizeram jogo emocionante com nomes importantes de ambos os lados. Luizinho abriu o placar para os visitantes aos oito minutos do segundo tempo; Camarão empatou para os donos da casa aos 15, mas viu Friedenreich marcar aos 40 o que parecia ser o gol da vitória tricolor. Porém, no último minuto de jogo, Feitiço empatou garantindo o empate na Vila Belmiro.

Imagens do Jornal A Gazeta do primeiro Sansão - Crédito: Reprodução/ A Gazeta
Imagens do Jornal A Gazeta do primeiro Sansão - Crédito: Reprodução/ A Gazeta
GIGANTES SE CRUZAM NA HISTÓRIA
Com um título estadual cada na década de 30, o São Paulo monta um grande time nos anos 40, conquistando cinco títulos paulistas, contra nenhum do Santos que consegue apenas o vice-campeonato de 48, quando já começava a montar um bom time que daria início a uma era na década seguinte. Nela, o tricolor vence em 1953 - em final com os santistas - e 1957, enquanto o Santos é campeão em 1955, 1956 -em final com os são-paulinos- e 1958.

Nessa época, ao passo que o São Paulo inicia a construção do estádio do Morumbi, o Santos monta um dos maiores times da história do futebol mundial, comandado pelo Rei Pelé. Assim, na década de 60, o Santos conquista dois, Mundiais, duas Libertadores, seis Brasileiros, três Torneios Rio-SP e oito estaduais. Nos de 1962, 1967 e 1969, em final direta contra o rival que amargou 13 anos sem títulos. Com isso, o Santos saltou para 12 títulos estaduais, contra oito dos são-paulinos.

Bicampeão paulista em 1970 e 1971, o São Paulo venceria ainda o estadual de 1975 e, em 1977, levantou o primeiro troféu do Campeonato Brasileiro. Campeão paulista de 1973, o Santos repetiu o feito em 1978, onde venceria o rival em mais uma decisão. A revanche são-paulina veio logo, com o título de 1980, que se tornaria mais um bi em 1981, além das conquistas de 1985, 1987 e 1989 e do Brasileiro de 1986. Com apenas o Paulista de 1984, o Santos que iniciava um longo jejum de títulos se via novamente atrás no número de conquistas estaduais: 16 a 15.

Era só o início de uma grande era são-paulina. Na década de 1990 foi a vez de o time tricolor conquistar dois Mundiais e duas Libertadores, mais um Brasileiro, além de quatro títulos estaduais, o último deles, em 2000, em mais uma vitória sobre os santistas que, por sua vez, neste período conquistaram apenas o Torneio Rio-SP.

Na primeira década do novo século, o São Paulo chega ao inédito título do Rio-SP e ao tão sonhado tri do Mundial e da Libertadores, além de conquistar o estadual no mesmo ano -atingindo 22 conquistas contra as mesmas 15 do Santos- e com o tricampeonato Brasileiro, chegar aos seis títulos. Só não há um empate com os santistas porque antes, em 2002 e 2004, o time da Vila Belmiro foi campeão nacional atingindo oito taças. Ainda ganhou dois títulos paulistas na década.

No tricampeonato estadual santista de 2010 a 2012, a rivalidade com o São Paulo ficou aflorada pela tripla eliminação tricolor nas semifinais. Neste período o Santos ainda ganhar uma Copa do Brasil e a terceira Libertadores da América, sem conseguir empatar com o rival no número de títulos mundiais, porém. Com mais dois estaduais, o Santos volta a ficar na frente após décadas: 22 a 21.

Juntos, somam 5 títulos mundiais, 6 continentais, 15 nacionais, 6 regionais e 43 estaduais, além de diversos títulos de menor expressão. Ao todo são 316 jogos com 136 vitórias são-paulinas, 104 santistas e 76 empates.

Santos 2x2 São Paulo
Competição:
Campeonato Paulista 1930;
Data: 11 de maio de 1930;
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos;
Árbitro: Victório Sylvestre;
Gols: Luizinho 8’, Camarão 15’, Friedenreich 40’ e Feitiço 45’ do 2ºT;

Santos: Athiê; Aristides e Meira; Roberto, Júlio e Alfredo; Omar, Camarão, Feitiço, Strauss e Evangelista.
Técnico: Platero.

São Paulo: Nestor; Clodô e Barthô; Milton, Bino e Boock; Luizinho, Siriri, Friedenreich, Mário Seixas e Scott.
Técnico: Rubens Salles.

Por Raoni David