DNA Pontepretano registra 'chapa de protesto' em cima da hora para eleição na Ponte Preta

Oposição acusa MRP de assédio, mas inscreve chapa e quer disputar a diretoria executiva

DNA fez inscrição por mail, tem dois nomes conhecidos e querem a disputa contra MRP

Categorias: Futebol Interior

Por: Agência Futebol Interior, 28/11/2021

eleicao ponte preta e1647655479962
Torcidas Organizadas elegeram Eberlin e estão apreensivas

Campinas, SP, 29 (AFI) – Depois de denunciar que seus conselheiros sofreram forte pressão emocional e física, inclusive com ameaças de morte, para a disputa do Conselho Deliberativo, a chapa de Oposição na Ponte Preta, DNA Pontepretano, resolveu, de última hora, registrar uma ‘chapa de protesto’ para concorrer à eleição da diretoria executiva, que acontece nesta segunda-feira à noite.

A relação da chapa completa, com 12 nomes, não foi revelada. Mas existem dois nomes em evidência. Um deles é do empresário João Carlos Cunha, o Cal, que seria o presidente da diretoria executiva. Outro será o comerciante Elijá Telles, o popular Mandrake, como presidente do Conselho Deliberativo. A nova diretoria vai ser eleita para o quadriênio – 2022 até 2025.


A chapa DNA Pontepretano abriu mão de participar da eleição do conselho deliberativo no último dia 20 de novembro. Na véspera, dezenas de conselheiros foram ameaçados por telefone. Foram, segundo seus coordenadores, ameaças de agressão e morte, não só para os conselheiros como para seus familiares.

Esta situação constrangedora e agressiva, segundo eles, os obrigou a liberar para que seus conselheiros não participassem da votação, preservando, inicialmente, suas integridades físicas.


MAIL E 48 HORAS
A própria inscrição aconteceu de forma incomum: foi feita através de email oficial do clube e no sábado à tarde, perto das 17h30. Em princípio, o entendimento da mesa da assembléia geral, presidida por Marcos Garcia Costa, entendia que o prazo final seria na sexta-feira às 19 horas.

Existem ainda duas interpretações sobre a antecedência de 48 horas. Garcia entendia, a princípio, que este prazo valeria para o horário de expediente do clube, que não funcionou no sábado. Dentro desta linha de raciocínio, o prazo máximo, então teria que ter acabado na quinta-feira às 19 horas.

Mas a chapa DNA Pontepretano considera o prazo de 48 horas contando domingo e sábado, dias sem expediente normal. No caso, o prazo de inscrição seria mesmo até as 19 horas de sábado.

NOVA ELEIÇÃO
Estas questões serão discutidas na abertura dos trabalhos, previstas para as 18h30, em primeira convocação, e às 19 horas, com qualquer número de conselheiros presentes no Salão Nobre do Majestoso. A mesa diretoria da Assembleia Geral vai avaliar a legalidade das duas chapas, bem como de suas inscrições, inclusive avaliando agora a questão do prazo correto.

Podem participar da nova votação, apenas os 150 conselheiros eleitos – todos pela chapa MRP – Movimento Renascer Pontepretano – e os 150 conselheiros natos – ex-dirigentes e beneméritos do clube ao longo de sua história.

DUAS CHAPAS
Na sexta-feira, houve apenas a inscrição da chapa MRP. A relação completa dos 12 nomes não foi revelada, mas alguns aparecem como prováveis ‘cabeças’. O presidente seria o advogado Gustavo Vallio, vice-presidente financeiro na gestão de José Armando Abdalla, que renunciou ao cargo em 2020.

O vice-presidente seria o empresário Marco Eberlim, que atuou como diretor de futebol nos primeiros anos dos anos 2000, quando a presidência estava com Sérgio Carnielli, considerado o presidente de honra do clube.


O segundo vice-presidente seria Marcos Garcia Costa, ex-empresário e professor universitário. A surpresa ficou para o possível nome à presidência do conselho deliberativo, Tagino dos Santos Alves, o atual presidente e que faz parte do grupo de Sebastião Arcanjo, o Tiãozinho.

Confira também: