Ricardo Gomes reconhece que está pressionado no São Paulo

O treinador deixou um Botafogo em ascensão para assumir um Tricolor instável

por Agência Estado

São Paulo, SP - O técnico Ricardo Gomes está pressionado no comando do São Paulo. Apesar de Marco Aurélio Cunha, gerente de futebol do clube, ter afirmado que não é o momento de mudar o treinador, o próprio comandante sabe que a situação é delicada. Os torcedores estão na bronca com mais uma derrota do time no Brasileirão e chamaram Gomes de "burro", após a derrota no clássico com o Santos por 1 a 0, no Pacaembu.

"Olha os resultados, são cinco resultados negativos. Tem algum treinador que não fica ameaçado com cinco resultados negativos? Conhece? Eu também não conheço. Isso é normal. Não tem nenhum treinador com três derrotas e dois empates que esteja tranquilo. Não será no Brasil", disse.

Ricardo Gomes começa a pensar na luta contra o rebaixamento
Ricardo Gomes começa a pensar na luta contra o rebaixamento
O retrospecto não tem ajudado e o desempenho do São Paulo também vem deixando a desejar. No clássico com o Santos, o time até teve bons momentos e poderia ter feito o gol, mas o poder ofensivo da equipe está em baixa. "Nosso time está propondo o jogo, e um time sem confiança não faz isso pois a bola queima. Precisamos melhorar a parte ofensiva. E aí temos que fazer modificações", afirmou.

Ele não citou quais modificações pretende fazer para a próxima partida, contra o Fluminense, na segunda-feira, no encerramento da 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Contra o Santos, ele chegou a ter quatro atacantes (Cueva, Chávez, Kelvin e Robson), além de um meia ofensivo (Jean Carlos) ao mesmo tempo, mas mesmo assim o time não fez gol.