STJD denuncia Lucas Lima, Dorival Júnior e presidente do Santos

Disputado no dia 8, aquele jogo ficou marcado pela expulsão de Lucas Lima nos instantes finais do primeiro tempo

por Agência Estado

Santos, SP, 16 - O Santos corre o risco de sofrer importantes baixas na sequência do Brasileirão, justamente quando se aproxima da briga pelo título. Nesta sexta-feira, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) denunciou o meia Lucas Lima e o zagueiro Gustavo Henrique, o técnico Dorival Júnior e até o presidente Modesto Roma Júnior, por conta da confusão na partida contra o Internacional, no início do mês.

Disputado no dia 8, aquele jogo ficou marcado pela expulsão de Lucas Lima nos instantes finais do primeiro tempo. Ele levou o segundo cartão amarelo por supostamente retardar uma cobrança de escanteio e foi expulso de campo. O lance gerou revolta no time do Santos e declarações fortes do treinador e do presidente após a partida, vencida pelo time gaúcho por 2 a 1, no beira-rio.

Principal jogador do elenco santista, Lucas Lima foi denunciado no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) e responderá por conduta contrária à disciplina ou ética. Ele corre o risco de ser suspenso por um a seis jogos.

Já Gustavo Henrique e Dorival Júnior foram denunciados por causa das declarações feitas ao fim da partida. Eles foram enquadrados por desrespeitar a equipe de arbitragem e também podem levar gancho de um a seis jogos.

O zagueiro levantou suspeita sobre o árbitro Rodrigo Raposo ao afirmar que "ele veio mal- intencionado e isso não pode acontecer. Não pode fazer isso porque aqui tem trabalhadores", dissera o jogador santista.

Dorival foi mais incisivo em sua crítica à arbitragem. "Um crime aquele tipo de atitude. Não tem nem o que falar, por que eu nunca vi isso no futebol", afirmara o treinador, que alegara que se tratou de uma jogada ensaiada na cobrança de escanteio.

"Quantas e quantas acontecem [esses lances] em todos os jogos com a aproximação de um elemento? Ele apenas refuga num primeiro momento para que a gente possa ter o momento ali da jogada em velocidade, do trabalho de bola, por que nós vimos uma possibilidade em razão da marcação do Internacional", declarara Dorival.

O caso mais grave a ser julgado pelo STJD é o do presidente Modesto Roma. Ele foi denunciado por dupla ofensa e responderá duas vezes ao artigo 243-F do CBJD. Pode, assim, receber multa entre R$ 100 e R$ 100 mil e suspensão de até 90 dias.

O presidente santista questionou a qualidade da arbitragem e a escolha dele para apitar a partida. "Peguem os últimos jogos deste cidadão. Sempre o mandante venceu. Quem falou que esse cidadão sabe apitar? O que ele fez não foi severidade. Ele foi com a intenção de fazer o que fez. Quem é o amigo desse cidadão? Quem é o padrinho? Ele é de Brasília, né? Tem um mercadinho lá", afirmou o dirigente.

As denúncias contra o Santos serão julgadas na próxima quarta-feira. A sessão está marcada para as 16 horas.