Após leilão fracassar, Portuguesa é procurada por interessados em parceria

Dirigentes entendem que sem alguém para pagar as dívidas e investir no clube, não há saída para o futebol

por Agência Estado

São Paulo, SP, 23 - O futuro da Portuguesa só deve se definir depois da eleição no dia 5 de dezembro, mas, ao que tudo indica, o caminho para o renascimento do clube será acertar uma parceria. Depois do fracasso no leilão do Canindé, na semana passada, o presidente em exercício, Leandro Teixeira Duarte, já foi procurado por novos interessados em investir na revitalização da área onde está localizado o estádio.

Antes do leilão, o clube conversou com representantes da Conexão 3 Desenvolvimento e Negócios e Planova Planejamento e Construções, quando foi apresentado um projeto. A autorização assinada pela Lusa ao pool de empresas, no entanto, perdeu validade, já que uma das exigências para dar continuidade à negociação era suspender os leilões.

As empresas chegaram a negociar com Gislaine Nunes, advogada da ação impetrada pelo ex-jogador da Lusa, Tiago de Moraes Barcellos, e de outros cinco ex-atletas do clube, entre eles Ricardo Oliveira, atualmente no Santos. As partes, porém, não se entenderam em tempo hábil para evitar o leilão.

Presidente da Portuguesa participa ativamente das negociações de parceria (Foto: Lucas Ventura / NetLusa)
Presidente da Portuguesa participa ativamente das negociações de parceria (Foto: Lucas Ventura / NetLusa)
EM DISCUSSÃO
O projeto da Conexão 3 e Planova continua em pauta no Canindé, mas, segundo o presidente, está aberta uma concorrência para efetivação de uma parceria. O dirigente confirma que foi procurado pouco depois do leilão da área onde está localizado o estádio terminar sem nenhum interessado. A construtora Kauffmann, que apresentou proposta no passado, está fora da disputa.

A avaliação interna é que o único caminho para o renascimento passa pela efetivação de uma parceria. Sem alguém para quitar as dívidas e investir no clube, não há saída para o futebol. A Portuguesa vai jogar a Série A-2 do Paulista e a Série D do Brasileiro no próximo ano. Caso não consiga o acesso no Estadual pode ficar fora de qualquer divisão nacional em 2018.

QUEM ASSUME?
Apesar de participar ativamente da negociação com os parceiros, Leandro Teixeira Duarte não é candidato no pleito do dia 5. Hoje são três concorrentes: Marco Antonio Teixeira, pai de Leandro, Alexandre Barros e Marcelo Carvalho, o Manga. Quem for eleito será o responsável por finalizar as tratativas.

Paralelamente às conversas para efetivação de uma parceria, o presidente em exercício da Lusa continua negociando com os advogados dos jogadores para buscar encerrar as pendências na Justiça. As dívidas estão em mais de R$ 55 milhões.