Dorival Júnior na seleção: histórico sustenta escolha de brasileiro como técnico

Desde a eliminação para a Croácia na Copa do Mundo do Catar, em dezembro de 2022, a seleção brasileira não tem treinador definitivo.

O Brasil foi campeão cinco vezes, em todas sob o comando de brasileiros

Seleção

Rio de Janeiro, RJ , 08 (AFI) – Em um curto intervalo de nove dias o cenário de 2024 da seleção brasileira virou de cabeça para baixo. Se antes havia garantias do acerto com o italiano Carlo Ancelotti, os rumos mudaram com a renovação do técnico com o Real Madrid. Desde quinta-feira, o enredo ganhou contornos mais extravagantes, com o retorno de Ednaldo Rodrigues à presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e a troca de Fernando Diniz por Dorival Júnior no comando técnico.

Desde a eliminação para a Croácia nas quartas de final da Copa do Mundo do Catar, em dezembro de 2022, a seleção brasileira não tem treinador definitivo. Passaram os interinos Ramon Menezes e Diniz e foram especulados vários nomes internacionais, incluindo Ancelotti, José Mourinho, Pep Guardiola, Abel Ferreira e Jorge Jesus.

Apesar de Dorival não ser unanimidade, o histórico das Copas do Mundo sustenta a opção de um treinador brasileiro para a equipe nacional. As estatísticas vão ao encontro da escolha por um técnico brasileiro no comando da seleção brasileira. Nas 22 Copas do Mundo disputadas até aqui, jamais uma seleção ergueu a taça sendo liderada por um treinador de outra nacionalidade.

O Brasil foi campeão cinco vezes, em todas sob o comando de brasileiros: Vicente Feola (1958), Aymoré Moreira (1962), Mário Zagallo (1970), Carlos Alberto Parreira (1994) e Luiz Felipe Scolari (2002). O mesmo ocorre com todas as outras sete seleções campeãs do mundo, como Alemanha, Itália, Argentina, Uruguai, França, Inglaterra e Espanha.

Para chegar à Copa de 2026, o Brasil não tem missão complicada, basta ficar entre os seis primeiros colocados das Eliminatórias Sul-Americanas. Hoje há mais dúvidas sobre a continuidade de Ednaldo Rodrigues no comando da CBF do que sobre a ida do País ao Mundial.

Em fevereiro, o imbróglio envolvendo Ednaldo e opositores deverá ser pautado para análise colegiada na Suprema Corte. Por enquanto, Ednaldo preside a entidade por efeito de uma liminar concedida por Gilmar Mendes, que suspendeu a validade de uma decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) sobre um Termo de Ajustamento de Conduta assinado pela CBF e o Ministério Público que garantiu a realização da eleição que alçou Ednaldo ao cargo de mandatário da entidade.

Confira a lista de técnicos campeões do mundo:

1930 – Alberto Suppici (Uruguai)

1934 – Vittorio Pozzo (Itália)

1938 – Vittorio Pozzo (Itália)

1950 – Juan López Fontana (Uruguai)

1954 – Sepp Herberger (Alemanha)

1958 – Vicente Feola (Brasil)

1962 – Aymoré Moreira (Brasil)

1966 – Alf Ramsey (Inglaterra)

1970 – Mário Zagallo (Brasil)

1974 – Helmut Schön (Alemanha)

1978 – César Luis Menotti (Argentina)

1982 – Enzo Bearzot (Itália)

1986 – Carlos Bilardo (Argentina)

1990 – Franz Beckenbauer (Alemanha)

1994 – Carlos Alberto Parreira (Brasil)

1998 – Aimé Jacquet (França)

2002 – Luiz Felipe Scolari (Brasil)

2006 – Marcello Lippi (Itália)

2010 – Vicente del Bosque (Espanha)

2014 – Joachim Löw (Alemanha)

2018 – Didier Deschamps (França)

2022 – Lionel Scaloni (Argentina)

Marcos Antomil

Confira também: