Paulista A2: Fernando Marchiori se destaca em classificação do Santo André ao mata-mata

Treinador do Ramalhão tem o desempenho como mandante como aliado na luta pelo retorno à elite

Publicado em .

Treinador do Ramalhão tem o desempenho como mandante como aliado na luta pelo retorno à elite

Santo André, SP, 01 (AFI) - O Santo André-SP conquistou a classificação às quartas de final da Série A2 do Campeonato Paulista na última rodada, diante da Portuguesa de Desportos, então concorrente direto na luta por vaga no mata-mata, com vitória por 2 a 0, diante de seus torcedores, no Estádio Bruno José Daniel.

E logo em seu primeiro trabalho no estado de São Paulo, Fernando Marchiori chegou ao clube em dezembro de 2018 com objetivo de montar uma equipe forte em busca do acesso - vale lembrar que o Ramalhão foi rebaixado do Paulistão no ano passado.

O grande empecilho enfrentado pelo treinador foi o lado financeiro, mas a alternativa foi trazer jogadores com experiência na divisão e peças já conhecidas em trabalhos realizados em outros clubes.

“O nosso primeiro objetivo, a classificação ao mata-mata, foi alcançado. Agora, é outro campeonato e teremos um adversário que fez a terceira melhor campanha na competição. Temos que nos impor na primeira partida diante de nossos torcedores”, comentou Marchiori.

MAIS DESAFIOS
Embora tenha garantido a vaga no G8 na rodada derradeira, o Santo André soma cinco jogos de invencibilidade, com duas vitórias e três empates. Como mandante, o time do ABC Paulista ostenta série de oito partidas sem derrota, com quatro vitórias e quatro empates.

“Temos bom retrospecto jogando em casa com quatro vitórias, mas houve jogos em que a equipe jogou muito bem e acabou saindo com empate. Vamos usar, sim, o fator casa na primeira partida diante do Rio Claro, pois sabemos das dificuldades a serem encontrados tanto na ida como na decisão em Rio Claro”, completou o comandante.

Fernando Marchiori lidera recuperação do Santo André na Série A2
Fernando Marchiori lidera recuperação do Santo André na Série A2
Fernando Marchiori lidera recuperação do Santo André na Série A2

QUEM É O TÉCNICO FERNANDO MARCHIORI? SAIBA MAIS!

HISTÓRIA NO MARINGÁ FC

Com três taças, Marchiori é o técnico com o maior número de títulos conquistados na história do Maringá FC. Em 2015, foi campeão invicto da Taça FPF, com 77% de aproveitamento, o que levou a Zebra ao Brasileiro Série D de 2016. Em 2017, venceu a Segunda Divisão Paranaense, colocando o time na elite do Estadual. Ainda na temporada passada, o treinador alcançou o bicampeonato da Taça FPF e, como consequência, foi premiado com vaga no Brasileiro Série D de 2018.

Nas duas campanhas que resultaram em títulos nas Copas, o time teve o melhor ataque e a melhor defesa. Somando todos os jogos do Estadual, Taça FPF e Brasileiro Série D disputados entre 2015, 2017 e 2018, o Maringá perdeu apenas uma vez atuando em casa. Sob comando de Fernando Marchiori, foram 61 partidas: 34 vitórias, 15 empates, 12 derrotas e 64% dos pontos conquistados.

O profissional de 39 anos, antes de virar técnico, foi jogador e iniciou sua carreira na Portuguesa. Depois, passou por Juventus-SP, ECO-SP, onde foi campeão Paulista da Séries B1 e B2, CRB-AL, Avaí-SC, União Barbarense-SP, Paraná Clube, América-SP, Mogi Mirim e Juventude-RS. Fora do Brasil, jogou por Istres Ouvest-FRA, San Fernando-ESP e Puertollano-ESP.

ELOGIOS NA ESPANHA
A carreira de treinador começou com estágios no Deportivo La Coruña e no Cádiz, ambos da Espanha. Por lá, o comandante estudou e certificou-se no curso de monitor realizado pela Real Federação Espanhola de Futebol. Entre agosto de 2009 e agosto 2013, Marchiori comandou a Seleção Brasileira Macabi de Futebol de Campo, onde foi campeão da Macabiada Australiana 2010.

Marchiori iniciou sua carreira de técnico como interino no Luverdense, mas se destacou no Cuiabá. Na primeira passagem pelo clube da capital, além de conquistar o Estadual, entrou para história após titulo inédito da Copa Verde de 2015, o que valeu uma inédita vaga na Copa Sul-Americana a um clube do Mato Grosso. Na época, somou 37 partidas, 19 vitórias, nove empates e nove derrotas. Na segunda passagem, chegou a ficar nove partidas invicto, com mais de 810 minutos sem levar gol.