Paulo Prisco Paraíso é eleito presidente da SAF no Figueirense: "Divisor de águas"

Clube projeta estar na elite do Brasileirão em 2024

Prisco Paraíso manteve os pés no chão e garantiu que ainda não há nenhum investidor

Categorias: Futebol Brasil

Por: Agência Futebol Interior, 13/01/2022

Fig2022 Patrick Floriani 01 ori
Prisco Paraíso, presidente da SAF. (Foto: Patrick Floriani / FFC)

Florianópolis, SC, 13 (AFI) – O Figueirense, assim como Cruzeiro e Botafogo, também transformou o clube em Sociedade Anônima Futebol (SAF). Nesta quinta-feira, Paulo Prisco Paraíso foi empossado como presidente e valorizou o passo dado pelo time de Florianópolis (SC).

“É um divisor de águas para tornar o Figueirense novamente o maior clube de Santa Catarina e colocá-lo de novo na elite do futebol brasileiro. O Figueirense está na vanguarda e vai dar exemplo para o Brasil de como fazer uma administração eficiente para conquistar os objetivos”, disse o mandatário.

CALMA!
Ainda assim, Prisco Paraíso manteve os pés no chão e garantiu que ainda não há nenhum investidor. O Figueirense já trabalha para buscar alguém que assuma o clube, mas ele afirmou que é preciso ter paciência.

“Não esperem que a gente anuncie um sócio daqui a 30, 60, 90 ou 120 dias. Dificilmente isso vai acontecer. Primeiro temos que fazer tudo de maneira segura. Aqui não tem ninguém que vá chegar no aeroporto dizendo que vai comprar o Figueirense. Esse tipo de farofada não faz parte do nosso trabalho. Aqui tudo é feito com base na confidencialidade e na hora certa as coisas acontecem”, explicou.

PROJEÇÃO!
A SAF ainda conta com o vice Notron Boppré e o diretor-executivo José Carlos Lages. Os membros do Conselho de Administração contam com Vera Lúcia Rodrigues, José Tadeu da Cruz e Antônio Fernando Barreto Miranda. Já o Conselho Fiscal é composto por Nilson José Goedert, Claudio José Duarte Filho, João Gonçalves Filho e Rái Borges Martins.

“O Figueirense já tem um valor de mercado preliminar que estão nos nossos dados internos que irão nos permitir concluir os valores, que serão lapidados em conjunto com o CEO e diretoria da empresa para que, paralelamente com o pagamento da recuperação extrajudicial, o Figueirense jogue a Série B, em 2023, e a Série A, em 2024”, finalizou Prisco.

Confira também: