Palmeiras derruba tabu de 28 anos e fica a um jogo da série invicta de 2020

"Coisa boa porque se calhar significa que os jogadores dão um bocadinho a mais. O comandante não está lá e o professor Abel diz que, quando acontece isso, todos eles têm que colocar em campo o treinador que há neles" - disse o auxiliar de Abel Ferreira

O tabu de não vencer o São Paulo no Morumbi desde 1994 foi quebrado pelo Palmeiras na noite da última segunda-feira (20)

Categorias: Grandes clubes de São Paulo

Por: Agência Estado, 21/06/2022

Murilo Palmeiras BR e1655778665869
Palmeiras vence o São Paulo no Morumbi (Foto: Divulgação/ Palmeiras)

São Paulo, SP, 21 – O Palmeiras atual é um pulverizador de recordes. Isso fica evidente a cada marca que o time alcança e a cada tabu que derruba. O último caiu graças à vitória por 2 a 1 sobre o São Paulo no Morumbi, pela 13ª rodada do Brasileirão. A equipe alviverde não vencia de virada na casa do rival havia 28 anos.

Placar FI e1655775714331
Jogadores do Palmeiras comemoram vitória em clássico (Foto: Divulgação/ Palmeiras)

PALMEIRAS QUEBRA tabu

A última vez que havia derrotado o São Paulo no Morumbi de virada tinha sido por 3 a 2 em 1º de maio de 1994, data da morte de Ayrton Senna. Naquela noite, Euller fez 1 a 0 e Edilson empatou. Muller colocou o São Paulo em vantagem, mas Maurilio e Evair asseguraram a virada.

Nesta segunda, 28 anos depois, Patrick foi às redes para os são-paulinos. Nos acréscimos, os zagueiros asseguraram o triunfo histórico palmeirense. Gómez marcou aos 45 e Murilo selou a virada aos 50.

“Dar os parabéns aos jogadores que tiveram grande capacidade mental num estádio muito difícil. Todos têm muitas dificuldades e só uma equipe ganhou aqui esse anos. Nós. Hoje foi a segunda vitória”, destacou João Martins. O auxiliar fez referência à série invicta em casa do São Paulo que o Palmeiras derrubou. No Brasileirão, o time não havia perdido ainda como mandante.

Com João Martins, aliás, o Palmeiras nunca foi derrotado. Das 15 vezes em que comandou a equipe para substituir Abel Ferreira – seja por suspensão ou covid -, ele somou dez vitórias e cinco empates. Nesse retrospecto, cabe lembrar, dirigiu o time em quatro clássicos, três contra o Santos, e o último com o São Paulo.

“Coisa boa porque se calhar significa que os jogadores dão um bocadinho a mais. O comandante não está lá e o professor Abel diz que, quando acontece isso, todos eles têm que colocar em campo o treinador que há neles”, ressaltou o auxiliar. Ele esteve à beira do gramado nesta ocasião porque o chefe Abel Ferreira pegou covid-19 e cumpre isolamento.

Em clássicos, no total, sob o comando de Abel ou um de seus auxiliares, o Palmeiras registra 14 vitórias, sete empates e cinco derrotas. Foram 41 gols marcados e 23 gols sofridos.

LONGA INVENCIBILIDADE

Líder do Brasileirão, com 28 pontos, dono do melhor ataque e da defesa menos vazada do torneio, o Palmeiras ostenta também a maior invencibilidade entre todos os 20 times da Série A. São 19 jogos seguidos sem perder na temporada, 12 deles pela competição nacional que lidera com três pontos de vantagem para o Corinthians.

São 15 vitórias e quatro empates por três competições (Libertadores, Brasileirão e Copa do Brasil). Esta já é a maior sequência de invencibilidade da era Abel Ferreira e a maior desde os 20 jogos sem derrotas sob comando de Vanderlei Luxemburgo, entre julho e outubro de 2020.

Portanto, se não for superado na quinta-feira, dia em que novamente encontra o São Paulo, desta vez pelo jogo de ida das oitavas da Copa do Brasil, o time alviverde iguala a sequência obtida com Luxemburgo há quase dois anos. A série atual já é a terceira maior do clube neste século.

Confira também: